Como o Brasil está se beneficiando do boom do café instantâneo

À medida que a inflação eleva os preços globais do café, a demanda por grãos Robusta mais baratos – e o Brasil pode ser o mercado para fornecê-los.

Embora a produção de Robusta geralmente caia para o principal fornecedor do Vietnã, os agricultores não conseguiram aumentar a produção com rapidez suficiente para atender à crescente demanda do consumidor.

Enquanto sua produção está se estabilizando, o segundo maior produtor de Robusta do mundo está ganhando velocidade. A produção do Brasil deve atingir um novo recorde este ano, com o USDA prevendo que a produção de robusta aumentará 5 por cento este ano, enquanto o Vietnã cai alguns centímetros.

“O Brasil tem muito espaço para aumentar a produção de café convertendo pastagens para culturas robustas”, disse Fernando Maximiliano, analista da StoneX Financial em São Paulo. “O Vietnã não tem espaço para expansão.”

O café robusta, que é amplamente utilizado para fazer café instantâneo como as marcas Nestlé Nescafé ou como uma mistura de espresso, era visto como uma alternativa ruim aos grãos arábica de alta qualidade, tradicionalmente preferidos por empresas como a Starbucks. Mas ela começou a voltar, principalmente por sua comodidade e melhoria do paladar.

Os consumidores em todo o mundo ainda estão bebendo mais bebidas à base de arábica, mas, à medida que as famílias e as empresas enfrentam a pior inflação em mais de quatro décadas, mais compradores estão dando outra olhada ao feijão Robusta de preço mais baixo, apesar de sua reputação de extrema força e amargor.

Como o Arábica de origem única é mais caro, uma porção do Robusta é frequentemente adicionada a bebidas à base de espresso preparadas fora de casa, o que contribui para o aumento da demanda.

READ  Presidente Jair Bolsonaro considera ruim para economia do Brasil

Nos Estados Unidos, o consumo de bebidas à base de café expresso aumentou 30% desde o início da pandemia de COVID-19, indicando não apenas uma recuperação da crise, mas também um novo crescimento, de acordo com uma pesquisa publicada pela National Coffee Association em março . . A demanda internacional por bebidas instantâneas ou solúveis também está aumentando, inclusive na Ásia e no Leste Europeu.

A diferença de preços entre o Arábica e o Robusta só aumentou nos últimos anos, em grande parte devido a problemas de safra.

No ano passado, a produção brasileira de grãos arábica de sabor suave diminuiu devido à seca e geada. A Colômbia, que ocupa o segundo lugar, perdeu cerca de 20% de sua produção nos últimos dois anos em meio às fortes chuvas causadas pelo La Nina. Os gargalos de envio aumentaram os problemas.

Com a descontinuação da produção do Arábica no Brasil, o Robusta está decolando.

Robusta é uma planta mais forte e maior, pode crescer nos lugares mais quentes, é mais resistente à seca – e contém quase o dobro de cafeína. Ao mesmo tempo, sua produção está se tornando mais profissional, os rendimentos aumentaram e os agricultores estão se expandindo para novos territórios.

Desde 2016, quando a seca acabou com a produção de robusta, os agricultores vêm investindo em técnicas de irrigação e colheita, somando-se à previsão de 2022-23 trazer uma colheita abundante. Embora seu sabor amargo tenha tradicionalmente tornado uma espécie de “mistura”, isso está mudando, com alguns produtos gourmet agora feitos 100% com Robusta.

“As características organolépticas do Robusta mudaram completamente devido à tecnologia e ao processamento das culturas que os agricultores aplicaram em todas as etapas da produção”, disse Celerio Inácio, CEO do Grupo Industrial ABIC, com sede em São Paulo.

O cultivo de árvores robusta está aumentando em estados do norte, como Rondônia e Mato Grosso, mas a competição com produtores de grãos por terra pode prejudicar o potencial de crescimento, disse Guilherme Moriah, analista do Rabobank em São Paulo.

“O potencial do Robusta brasileiro é enorme, o único problema é que ele concorre com os grãos, onde as margens eram incríveis.

Mais produção de robusta do Brasil dará algum alívio para torrefadores e consumidores, especialmente na Europa, onde a crise do gás natural exacerbada pela guerra na Ucrânia exacerbou os altos custos de energia, aumentando as pressões inflacionárias. Os preços futuros do Arábica dobraram em Nova York nos últimos dois anos, enquanto os preços do Robusta subiram 57% em Londres.

O agricultor Pinto Venturem, 74 anos, faz parte da Revolução Robusta Brasileira. O Sr. Venturem, filho de um produtor de Arábicas, começou a adaptar técnicas e maquinários usados ​​no cultivo de Arábicas para uma fazenda de Robusta no Espírito Santo na década de 1990. As mudanças incluíram rega e torra cuidadosa.

Sua fazenda familiar agora exporta café privado. No Brasil, a família Venturim vende marca própria e fornece cafeterias de alto padrão. Seu café às vezes atinge um prêmio de até 130% em relação ao Robusta normal.

Atualizado: 16 de julho de 2022, 5h

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.