Voos portugueses interrompidos no segundo dia de greve no aeroporto

Uma greve de 48 horas de trabalhadores do aeroporto em Portugal levou ao cancelamento de quase 600 voos em dois dias, a partir de 17 de julho de 2021. Enquanto os passageiros retidos tentavam reagendar seus planos de viagem, longas filas se formaram.

Centenas de voos foram cancelados em Portugal no fim de semana devido à greve anunciada pela Airport Handling Technicians Association (STHA). A greve começou no sábado, com quase 260 voos cancelados, seguidos por outros 327 no domingo. A greve sobre os salários deve continuar até domingo.

Consulte Mais informação: A TAP Air Portugal liga Chicago e São Francisco

fila de passageiros no Aeroporto de lisboa : Foto de euronews

Segundo uma fonte oficial da Agência Portuguesa de Notícias (ANA), entidade responsável pelos aeroportos portugueses. Dos 511 voos programados para domingo, 301 foram cancelados no Aeroporto de Lisboa e 26 foram cancelados no Aeroporto do Porto. De acordo com a Autoridade Aeroportuária Portuguesa, foram cancelados duzentos e sessenta voos em 17 de julho de 2021 e 327 em 18 de julho de 2021 nos dois principais aeroportos de Portugal, Lisboa (LIS) e Porto (OPO) ANA. Os sindicatos também convocaram greves nos aeroportos do Porto, Faro, Funchal e Porto Santo.

A greve afeta principalmente a operação do aeroporto de Lisboa e tem pouco efeito nos restantes nove aeroportos portugueses. O aeroporto do Porto é o segundo mais afectado pela greve depois de Lisboa, com 45,2 por cento dos trabalhadores presentes, seguido do Funchal (31,6 por cento) e Faro (31,6 por cento) (31,6 por cento). Segundo a empresa, a atividade no Porto Santo não foi prejudicada.

“Antecipamos desafios amanhã, com um retorno gradual ao normal na segunda-feira”, disse Legionnaire a repórteres.

READ  Com passagens acima de 10.000 reais, viagens humanitárias entre Brasil e Portugal já estão lotadas - 24/02/2021 - Mundo - Universidade Rei Saud

No segundo dia de greve, 81,3 por cento dos trabalhadores de Lisboa não compareceram ao trabalho, segundo fonte oficial da Agência de Apoio Aeroportuário. Devido à greve de tratamento, a ANA aconselha os passageiros com voos cancelados a não se deslocarem para o Aeroporto de Lisboa. Em vez disso, devem buscar informações por outros meios, como a Internet e o telefone.

Um representante do setor empresarial revelou, neste domingo, que algumas companhias aéreas optaram por adiar todo o processo previsto para aquele dia; Apenas 200 dos 511 voos reservados têm lugar na capital portuguesa.

A companhia aérea notificou o e-mail da greve, informando que alternativas foram oferecidas aos clientes.

A Diretora de Marketing e Vendas da TAP Air Portugal, Fernanda Ottavio, comentou: “Devido a esta indisponibilidade, as linhas telefônicas do call center ficaram congestionadas, e sugiro que a melhor opção é verificar o estado do voo no nosso site e consultar a sua reserva em meus voos. ” Esse cenário também é abordado em uma página dedicada no site.

A Airport Handling Technicians Association (STHA) pediu a evacuação em resposta aos trabalhadores da força terrestre. Os trabalhadores da força terrestre têm experimentado “flutuações insustentáveis” em relação ao pagamento pontual de salários e outros componentes em dinheiro desde fevereiro de 2021, de acordo com a Airport Handling Technicians Association (STHA).

A TAP ofereceu-se para emprestar à Groundforce o dinheiro de que precisava para pagar as férias aos seus funcionários, mas o negócio de gestão rejeitou a oferta. O Grupo Pasogal (50,1%) e o Grupo TAP (49,9%) foram adquiridos pelo governo português em 2020, a sua própria empresa Groundforce.

A TAP afirma que deve à Groundforce € 12 milhões ($ 14,17 milhões) por serviços anteriores, mas a Groundforce afirma que não deve nada à TAP. A greve faz parte de uma longa disputa financeira entre a Groundforce e a TAP Air Portugal, transportadora nacional de Portugal, que está a sofrer cancelamentos de voos.

READ  O agravamento da epidemia que está obrigando o Santander Brasil a recuar na volta ao cargo foi corrigido

Para a sustentabilidade dos voos, e uma vez que outras empresas de assistência em escala não foram interrompidas, muitas companhias aéreas podem continuar a operar voos. As companhias aéreas de baixo custo que operam no Terminal 2 de Lisboa foram as menos afetadas pelo cenário atual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *