“The Book of Delights”, uma adaptação da grande novelista brasileira Clarice Lessepector, escolhida por M-Appeal (exclusivo)

Novamente Vendas altistas Em “Wheel of Fortune and Fantasy”, vencedora do Grande Prêmio do Júri no Festival de Berlim, a vendedora M-Appeal acaba de se lançar nos direitos globais do filme brasileiro “O Livro das Delícias”, de Marcela Lordy “O Livro das Delícias. “(” O Livro “dos Praceres”) – parte do esteio da estreia de uma nova geração de jovens realizadoras brasileiras, considerado um dos filmes mais interessantes. Novos fenômenos Atualmente é visto em filmes latino-americanos.

Também marcando a estreia do primeiro longa de ficção BigBonsai de Deborah Osborne, “O Livro das Delícias” foi co-produzido pela Rizoma e tem sido a força motriz do novo cinema argentino nas últimas duas décadas, levando a vencedores de festivais e mais abertos filmes sobre arte Lado da corrente.

Mais da variedade

Este último caso é o caso de “The Book of Delights”, co-escrito por Lourdy e a argentina Josefina Trotta, que inclui seus créditos de escrita para a canção “Darkness by Day” de 2013 de Martin DeSalvo.

“O Livro das Delícias” também adapta “um aprendizado ou um livro de prazeres”, um romance tardio escrito por Clarisse Lispector, uma das maiores novelistas contemporâneas do Brasil – embora ainda em grande parte desconhecida ou subestimada. A ludicidade de LeSpector permeia Lourdes, uma saga de amor contemporânea que acompanha a jornada emocional de Lori (Simon Spolador), uma mulher que abandonou a casa de sua família na zona rural do Brasil para dar aulas em uma escola no Rio de Janeiro e herdou o apartamento de sua mãe na praia .

Em busca de satisfação sexual, mas emocionalmente insatisfeita por ficar de pé uma noite, ela se sente atraída por Ulisses (Javier Drollas), um autoconfiante professor de filosofia em sua escola. Mas é Ulisses quem espera Lori enquanto ela enfrenta uma crise existencial completa e as normas patriarcais.

READ  Ben Foster adquire uma plataforma de descoberta de carreira pioneira

Retraída, introspectiva e precisando se reconciliar com outra pessoa e realizar seus próprios desejos, ela reluta em se entregar ao Ulisses e encontrar algum tipo de felicidade.

M-Appeal disse em um comunicado: “Um olhar moderno sobre o trabalho de Lesspector”, o filme oferece “uma personagem feminina pioneira que conduz a história de liberdade e empoderamento, uma visão feminina maravilhosa do jogo de sedução e prazer, uma aventura de amor e conquistas femininas no contexto da sociedade patriarcal. “

Adaptando o livro de 1969 para hoje “Quando experimentamos um amor fluido e desnecessário e ninguém mais tem paciência ou tempo para os outros”, o que chamou sua atenção sobre a história de Lispector, como disse Lorde, é que “Lori aprende a viver através da humanidade com os desejos , onde o amor não é apenas a gratificação dos instintos.

Ela acrescentou: “Minha grande motivação foi fazer com que o público aceitasse nossa união, nosso entendimento e nosso respeito pela nossa individualidade para vivermos em uma empresa”.

“O Livro das Delícias” foi produzido e coproduzido pela bigBonsai e Cinematográfica Marcela, marca registrada do Lordy. Rhizoma, Com sede no Rio de Janeiro, a República Pureza e o Canal Brasil, um canal brasileiro independente de filmes e séries que apoiou as últimas séries da Berlinale.Os últimos dias de Gilda. “

A melhor escalação

Assinado por O boletim informativo é diverso. Para as últimas notícias, siga-nos em O site de rede social FacebookE a Twitter, E as Instagram.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *