Supermercados da UE estão evitando carne brasileira devido a ligações com desmatamento

Escrito por Jake Spring e Anthony Deutsch | Reuters

São Paulo – Seis redes de supermercados europeias, incluindo duas da holandesa Ahold Delhaize e uma subsidiária do Carrefour, disseram na quarta-feira que parariam de vender alguns ou todos os produtos de carne bovina do Brasil devido às suas ligações com a destruição da floresta amazônica.

As promessas vão desde a rede de supermercados Lidl Netherlands, que se comprometeu a interromper a venda de toda a carne bovina da América do Sul a partir de 2022, até decisões mais específicas para interromper as vendas de certos produtos de carne bovina ou charque.

Muitos dos produtos afetados estão associados ao maior frigorífico do mundo, a JBS SA.

Os boicotes surgiram em resposta a uma investigação do Repórter Brasil do Brasil, que alegava que a JBS obtinha indiretamente vacas em áreas desmatadas ilegalmente, em um esquema conhecido como “lavagem de gado”.

Isso ocorre quando o gado criado em um lote ilegalmente removido é vendido para uma fazenda legítima antes de ser vendido para um matadouro, para ocultar sua proveniência.

A JBS disse à Reuters que tem tolerância zero para o desmatamento ilegal e proibiu mais de 14.000 fornecedores por não conformidade com suas políticas. A empresa afirmou que monitorar os fornecedores indiretos – aqueles antes do vendedor final do frigorífico – é um desafio para todo o setor, mas a JBS vai estabelecer um sistema capaz de fazer isso até 2025.

O frigorífico brasileiro disse que a pesquisa do Reporter Brasil mencionou apenas cinco dos 77.000 fornecedores diretos da JBS e que esses fornecedores atenderam às políticas da empresa no momento da compra.

READ  Mercado de Vendas de Ingredientes para Alimentos Especiais - Análise e Previsão da Indústria (2019-2028)

As taxas de desmatamento aumentaram na Amazônia brasileira, a maior floresta tropical do mundo, desde que o presidente de direita Jair Bolsonaro assumiu o cargo em 2019 e revogou as medidas de proteção ambiental. Ele disse que almeja mais agricultura e mineração para tirar a região da pobreza.

O desmatamento atingiu o máximo em 15 anos em 2021, com mais terras desmatadas do que o estado americano de Connecticut.

A maior parte da terra nua é usada para criação de gado.

Entre outros compromissos, Albert Heijn, da Ahold Delhaize, a maior rede de supermercados da Holanda, parou totalmente de fornecer carne bovina do Brasil.

Um porta-voz de Albert Heijn disse à Reuters que a empresa atualmente vende um punhado de carne bovina e bacon de origem brasileira a cada semana.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *