Samba vibra no Hankook iON enquanto a Fórmula E entra na corrida no Brasil

Robin Frijns está de volta ao cockpit de um carro de Fórmula E no Hankook iON Raceway.
Robin Frijns está de volta ao cockpit de um carro de Fórmula E no Hankook iON Raceway.



O ABB FIA Formula E World Championship retorna de uma curta pausa de quatro semanas com outra estreia. Depois de estrear no México, Índia e África do Sul, o Brasil sediará a série de corridas totalmente elétricas pela primeira vez em 25 de março. Os pilotos e o Hankook iON Race, o novo pneu padrão da Fórmula E, seguem para São Paulo, uma cidade de 12 milhões de habitantes. O circuito da maior cidade do Brasil trará mais uma vez novos desafios para as equipes e para o excelente produto da Hankook. Até agora, a Hankook iON Race mostrou sua qualidade e desempenho em todas as pistas da Fórmula E, apoiando os pilotos com a aderência de que precisam. Com isso em mente, estamos esperançosos antes de nossa viagem à América do Sul. E, assim como na Cidade do Cabo, o circuito é muito rápido, com longas filas”, diz Jeong Choi, engenheiro de corridas da Hankook Formula E.

Os 22 pilotos escalados na 9ª temporada vão criar um clima de samba entre a torcida nas arquibancadas. O foco particular será nos pilotos brasileiros Lucas di Grassi e Sergio Sete Camara. Como nas corridas anteriores, os fãs podem esperar batalhas emocionantes e ultrapassagens incríveis. Apesar de ter desistido na Cidade do Cabo, o alemão Pascal Wehrlein ainda lidera a classificação geral. O britânico Jake Dennis e o francês Jean-Eric Vergne estão muito animados. Enquanto isso, a TAG Heuer Porsche Formula E Team dominou a competição por equipes até agora. A equipe lidera a segunda colocada Envision Racing por 42 pontos após cinco corridas.

Hankook torna isso possível: apesar de um carro seguro e duas etapas Full Course Yellow, o E-Prix da Cidade do Cabo ainda foi a corrida mais rápida da história da Fórmula E, com velocidade média de 132,199 km/h. O recorde anterior era de 132,116 km/h e foi estabelecido no E-Prix da Cidade do México de 2022. Antonio Félix da Costa é o primeiro piloto a vencer corridas de Fórmula E com quatro equipes diferentes. Pelo menos um piloto da Porsche subiu ao pódio após cada uma das cinco primeiras corridas da nona temporada. Nenhuma outra equipe teve um início de temporada tão bem-sucedido. Os mesmos três pilotos subiram ao pódio no E-Prix de Hyderabad e no E-Prix da Cidade do Cabo – outra estreia na Fórmula E. O ocupante do pódio não conseguiu vencer a corrida pela oitava vez consecutiva.

A FIA está trabalhando nos pedidos dos pilotos para uma melhor visão da traseira do carro. A partir das corridas de Fórmula E em Berlim, os carros Gen3 serão equipados com novos espelhos retrovisores. Ele dará aos motoristas uma melhor visão da parte traseira, melhorando assim a segurança do motorista.

O holandês Robin Frijns está finalmente de volta ao comando. Depois de cair na abertura da temporada no México e subsequente operação no pulso, o piloto de 31 anos se recuperou totalmente. Ele se alinha com o companheiro de equipe Nico Muller na ABT Cupra Formula E Team no Brasil.

Como parceira oficial do programa, a Hankook tem o prazer de promover a iniciativa FIA Girls on Track desde o início da 9ª temporada. Depois de Cidade do México e Diriyah, São Paulo é agora a terceira das quatro estações onde a programação será realizada presencialmente. O objetivo é incentivar a igualdade de gênero de forma inovadora, comprometida e positiva no automobilismo. Cerca de 400 meninas do programa participarão ao vivo nas pistas nesta temporada. Além disso, também é possível participar virtualmente pela primeira vez. O quarto evento Girls on Track acontecerá durante o fim de semana da corrida em Jacarta, Indonésia.

READ  Autoridades brasileiras já iniciaram investigação, com a divulgação de 102 milhões de consumidores em um novo vazamento

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *