O futebol brasileiro deu as boas-vindas aos torcedores após a pandemia do coronavírus, mas a tensão nas arquibancadas está alta

Futebol sem torcida no estádio não é a mesma coisa.

Assistir à ação no campo é apenas parte da diversão de entrar no jogo; Respirar a atmosfera criada pelos fãs também é importante para a experiência. Os fãs de futebol não são espectadores. Eles são participantes ativos.

3

Torcida do Flamengo torcendo ao lado deles contra o Atlético MineiroCrédito: Reuters

O clima que eles criam nas arquibancadas tem um efeito profundo no que acontece em campo – para melhor ou pior.

Com a epidemia de coronavírus no Brasil agora sob controle, os torcedores estão gradualmente sendo autorizados a voltar aos estádios. Aconteceu em um momento crucial.

A liga terminou no início de dezembro. A campanha está agora no fim e as emoções estão em alta.

Existe um nível interno de insatisfação no futebol brasileiro. A tradição do jogo em um país tão gigante é fortemente local – não houve nenhum campeonato nacional real até 1971, e por anos ser o campeão da cidade local era visto como mais importante do que ser o campeão do país.

Essas competições regionais perderam sua relevância. Existem agora três títulos principais em jogo – a Liga, a Taça e a Copa Libertadores, o equivalente à Liga dos Campeões.

Não há títulos suficientes para vencer todos os clubes que, com base em façanhas regionais, se dizem gigantes. Muitos fãs se sentem enganados.

Eles foram educados para pensar em seu clube como uma coisa formidável. A média de nível médio, ou pior, é mais do que eles podem suportar. Existem muitas histórias no Brasil de torcedores atacando fisicamente seu time.

Vencer, então, é um grande negócio. Um dos maiores mitos do futebol é a visão de que o futebol brasileiro se resume à autoexpressão, onde ninguém se preocupa em sofrer gols. É um negócio sério onde os resultados são tudo e tudo acaba.

READ  Liverpool International Tour - lesão de Jordan Henderson, choque em Portugal Jota, Tsimikas, Kelleher
O gigante brasileiro Flamengo luta em três frentes, na Liga, na Copa e na Copa Libertadores

3

O gigante brasileiro Flamengo luta em três frentes, na Liga, na Copa e na Copa LibertadoresCrédito: Reuters

O retorno da torcida aos estádios aumentou o nível de tensão. Os gigantes do Flamengo carioca lutavam em três frentes. Na final da Libertadores, nas semifinais da copa nacional e em uma competição pela conquista do campeonato.

Mas na semana passada foram eliminados da copa nacional em casa, e a torcida do Maracanã se apressou em virar o time e o treinador.

No sábado, quando cumprimentou o líder do campeonato, o Atlético Mineiro, teve que dar meia-volta – e depois de avançar no primeiro tempo não sofreu golos – com certa perda de tempo, principalmente do goleiro, que surpreendeu o Atlético. O atacante Hulk, voltou ao Brasil depois de muitos anos no exterior.

Na outra ponta do riacho está o Grêmio, do sul do país. Eles tiveram muito sucesso nos últimos anos, mas, surpreendentemente, eles enfrentaram sérios problemas.

Um ídolo local, o ex-técnico do Chelsea Luiz Felipe Scolari, foi trazido de volta para impedir a podridão. Mas isso não funcionou e ele foi recentemente demitido.

Com o clube em segundo na última posição no campeonato (quatro descidas), o alarme soa e ter torcedores no estádio pode sair pela culatra. Os jogadores estão sob tanta pressão que se deparam com leões.

No domingo avançou em casa para o Palmeiras, um time paulista muito forte. Mas eles acabaram perdendo por 3-1.

Um dos gols do Palmeiras veio de uma cobrança de pênalti inadequado após consulta ao VAR. Isso foi demais para os fãs do Grêmio.

À medida que a partida se aproximava do fim, uma parte da multidão começou a alvoroçar-se. Eles invadiram o estádio e tiveram sua raiva incontrolável com o equipamento VAR. Ele poderia ter ido mais longe.

Torcida do Grêmio invade o gramado após decepcionante derrota em casa para o Palmeiras

3

Torcida do Grêmio invade o gramado após decepcionante derrota em casa para o PalmeirasCrédito: AFP

Alguns deles queriam forçar seu caminho através do túnel e atacar os jogadores, e levou cerca de uma hora para colocar a situação sob controle.

É mais fácil para o Grêmio jogar sem fãs? Esta questão com certeza será posta à prova em breve.

Como punição pelos eventos de domingo, o clube certamente será penalizado, podendo ter que disputar suas próximas partidas em casa à porta fechada.

Tuchel criticou a FIFA por trazer Thiago Silva ao Brasil em meio ao caos da quarentena internacional

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *