Nova Zelândia informa a China de suas preocupações sobre ajuda mortal à Rússia

A ministra das Relações Exteriores da Nova Zelândia, Nanaya Mahuta, expressou sua preocupação à China sobre o fornecimento de qualquer ajuda letal para apoiar a Rússia em sua guerra contra a Ucrânia durante uma reunião com seu colega chinês.

No sábado, sua assessoria de imprensa detalhou os comentários cautelosos de Mahuta em Pequim, dias depois de o presidente chinês, Xi Jinping, encerrar sua viagem a Moscou, um caso cordial no qual Xi e o presidente russo, Vladimir Putin, prestaram homenagem um ao outro e falaram de profunda amizade.

A viagem de quatro dias de Mahuta, que começou na quarta-feira, foi a primeira de um ministro das Relações Exteriores da Nova Zelândia a Pequim desde 2018, mas ocorreu em um momento crucial quando Xi visitou Moscou na mesma semana para dar a Putin um impulso diplomático, segundo o TPI. Você quer colocá-lo em julgamento por crimes de guerra.

Em relação à guerra na Ucrânia, Mahuta reiterou a condenação de seu governo à “invasão ilegal” de Moscou por seu homólogo Chen Gang.

Ela também disse ao antecessor de Chen, Wang Yi, que agora é o principal funcionário da política externa do Partido Comunista Chinês, que paz e prosperidade são as expectativas de todas as partes, de acordo com a agência oficial de notícias chinesa Xinhua. Ela foi citada como tendo dito no relatório que a Nova Zelândia apóia a solução política de disputas por meio do diálogo.

READ  Xi Jinping, da China, descreve a autossuficiência em tecnologia como a chave para competir com o Ocidente

A agência acrescentou que Wang disse que a tarefa urgente é alcançar um cessar-fogo e a retomada das negociações de paz, e que a China continuará a desempenhar um papel construtivo na promoção de um acordo político.

Sua assessoria de imprensa disse que durante a reunião com Chen, Mahuta levantou preocupações sobre a situação dos direitos humanos em Xinjiang, a erosão das liberdades em Hong Kong, as disputas no Mar do Sul da China e o aumento das tensões no Estreito de Taiwan.

O escritório acrescentou que os ministros discutiram a possibilidade da visita do primeiro-ministro da Nova Zelândia, Chris Hepkins, à China este ano.

A China é o maior parceiro comercial da Nova Zelândia e os exportadores neozelandeses dependem da China para comprar produtos lácteos e outras commodities agrícolas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *