Juiz do Tribunal de Contas da União recomenda aumento do teto de gastos para recuperação pós-pandemia

  • Nardis exige isenção do teto de gastos por 3 anos
  • Sua revisão dos gastos de Dilma Rousseff levou ao seu impeachment em 2016.
  • Juiz aprova ideia de privatizar a Petrobras

BRASÍLIA (Reuters) – Um juiz do Tribunal de Contas da União disse que o governo brasileiro deveria ter permissão para estabelecer um teto de gastos constitucional temporariamente para que possa emergir da crise econômica causada pela pandemia do coronavírus. Reuters.

Augusto Nardes, cuja revisão dos gastos da ex-presidente Dilma Rousseff constatou que ela infringiu a lei de responsabilidade fiscal, levando ao impeachment em 2016, disse que a crise atual é tão forte que o Congresso deveria mudar o teto de gastos do governo.

“O Brasil vive uma guerra social causada pela epidemia, e o Congresso deve chegar a um acordo nacional que dure pelo menos três anos para restaurar o crescimento econômico”, disse Nardis em entrevista na noite de quinta-feira.

Seus comentários se somam ao coro crescente em Brasília que pede menos restrições aos gastos do governo, mesmo entre aqueles que antes se limitavam à disciplina fiscal. A mudança abalou os mercados, levou os funcionários do Tesouro a renunciar e forçou o banco central a intensificar o ciclo de aperto monetário mais severo do mundo.

O sucessor de Dilma emendou a constituição para limitar o crescimento anual dos gastos à taxa de inflação. No entanto, depois que a economia brasileira contraiu 4,1% no ano passado, o governo do presidente Jair Bolsonaro está lutando para encontrar uma maneira de financiar mais pagamentos em dinheiro para as 17 milhões de famílias atingidas pela pandemia.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, propôs a flexibilização do teto de gastos, e aliados no Congresso propuseram uma legislação que permite quase 100 bilhões de reais (US $ 17,7 bilhões) em gastos adicionais no próximo ano.

READ  Gopinath, do FMI, diz que as economias emergentes não podem permitir o retorno da "birra gradual"

“A lei do teto de gastos não pode ser mantida nesta guerra social, mas a decisão cabe ao Congresso”, disse Nardis.

Ele acrescentou que “japoneses, americanos e ingleses já estão aumentando suas dívidas para sair da crise”.

Nardis observou que enquanto o governo dos EUA investe US $ 3 trilhões, o Brasil investe apenas 60 bilhões de reais em infraestrutura. Ele disse que o Japão gasta mais, mesmo com uma dívida pública de 200% do PIB, enquanto a dívida do Brasil é inferior a 100% do PIB.

Nardis disse na quinta-feira que propôs um acordo nacional sobre o assunto ao presidente da Câmara, Arthur Lira, e ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco.

Sobre as recentes propostas do Bolsonaro de privatizar a estatal petrolífera Petrobras (PETR4.SA), Nardis disse concordar em teoria.

Ele disse que o tribunal avaliaria qualquer movimento para vender a participação do governo na Petrobras como faz com todas as concessões públicas no Brasil, acrescentando que havia uma necessidade clara de reduzir o tamanho da gigante produtora de petróleo.

“Não tem como a gente manter essa estrutura gigantesca, porque o uso do petróleo pode acabar em 10, 20 ou 30 anos. O Brasil precisa desenvolver alternativas sustentáveis”, disse.

(1 dólar = 5.6452 riais)

(Reportagem de Anthony Buddle em Brasília) Edição de Brad Hines e Matthew Lewis

Nossos critérios: Princípios de confiança da Thomson Reuters.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *