Festival de Cinema do Rio acelera com forte programação de imagens brasileiras, incluindo um aumento significativo de imagens da floresta amazônica e dos povos indígenas

batalha da rua maria antônia,“Dirigido por Vera Egito, recebeu o principal Prêmio Redentor de filme de fantasia do Festival Internacional de Cinema do Rio de Janeiro 2023, que encerrou a edição deste ano no último fim de semana, consolidando sua posição como o maior festival da América do Sul e principal vitrine da produção brasileira no o mundo.

O festival contou com estreias mundiais de quarenta filmes brasileiros e quatro séries de televisão. A sua competição, que reflecte a força produtiva do país, incluiu 54 filmes locais seleccionados entre 318 inscritos.

Mais da variedade

Através de uma série de 21 longos planos em filme 16mm preto e branco, “A Batalha da Rua Maria Antonia” retrata o massacre policial real de 1968 contra estudantes da Faculdade de Filosofia da Universidade Estadual. de São Paulo que se levantou em 1968. Oposição à ditadura militar que existia naquela época no Brasil.

“Karolina Markovic”tarifasEla ganhou o prêmio de Melhor Atriz, dividido com Maeve Jenkings e Grace Basso pelo filme “O Dia que te conheci”, e o ator (Kaua Alvarenga). “O Dia que te conheci” de André Novaes Oliveira também recebeu o Prêmio Especial do Júri.

Lela Halla ganhou o prêmio de Melhor Diretor por “Levante”, enquanto Evgenia Alexandrova ganhou o Prêmio de Fotografia por “Sem Coração” e Guto Parente ganhou o Prêmio de Roteiro por “Um Estranho Caminho”. Vencedor do Prêmio Tribeca 2023 de Recurso Narrativo Internacional.

“Otelo, O Grande”, de Lucas Rossi dos Santos, sobre Grande Otelo, considerado o comediante afro-brasileiro mais importante do país, ganhou o apelido de “Doc Codo”.

Um destaque do festival foi a grande quantidade de reportagens sobre a floresta amazônica e os povos indígenas brasileiros.

READ  Sempre amour at il 38 ° Eu amo o Mons International Film Festival

O documentário “Somos Guardiões”, codirigido por Edivan Guajajara, indígena Araribuya, e Chelsea Green e Rob Grubman, ambos dos Estados Unidos, teve estreia brasileira no Festival de Cinema do Rio. O documentário, que tem Leonardo DiCaprio como produtor executivo, tem desfrutado de uma forte carreira comemorativa e deve estrear no serviço de streaming no início do próximo ano.

“Somos Guardiões” centra-se na destruição da floresta amazónica e nos esforços da população local para salvá-la, incluindo um grupo de guardas florestais formado pelos povos indígenas de Araribuya, para limitar as atividades dos madeireiros nas suas reservas.

A atuação inicial de Edivan Guajajara na produção foi como tradutor e fixador. Greene e Grubman ficaram muito impressionados com seu trabalho e, com a pandemia, ele foi promovido a diretor associado.

“Meu trabalho não foi fácil. Seguimos o grupo de guardas-florestais enquanto eles perseguiam madeireiros ilegais no meio da floresta”, disse Edivan Guajajara. diverso.

O filme “Raoni – Uma Amizade Improvável”, de Jean-Pierre Dutilleux, conta a história da amizade de 50 anos entre o diretor belga e uma liderança do povo indígena Kayapó. Desde a década de 1970, Dutilleux faz documentos sobre Raoni e viaja com ele pelo mundo. Seu trabalho ajudou Raoni em sua campanha bem-sucedida para expandir a área protegida na parte sul da floresta amazônica.

O filme Bye Bye Amazônia, do veterinário Neville d’Almeida, também teve estreia mundial no festival do Rio. O documento alerta para a rápida destruição da floresta e apela à acção.

“Nosso filme adota o ponto de vista indígena. É uma declaração contra o desmatamento da Amazônia. Como cineasta, é meu dever alertar o mundo sobre o que está acontecendo aqui”, disse d’Almeida. diverso. O cineasta de 82 anos dirigiu o filme “A Dama no Ônibus”, de 1978, que está entre os filmes brasileiros de maior bilheteria.

READ  Twitter em pontos no cruzamento das Olimpíadas de Tóquio em 2020

Estevão Ciavatta apareceu pela primeira vez no documentário “Línguas da Nossa Lingua” sobre as línguas faladas no Brasil. O documento destaca a diversidade de línguas indígenas que sobreviveram à colonização portuguesa.

“O Brasil tem uma situação única. Embora cerca de 98% de sua população fale português, o Brasil tem uma enorme diversidade linguística. São faladas aqui mais de 170 línguas, a maioria das quais são indígenas.” diverso.

“Posto Avancado”, de Eduardo Morabito, coprodução entre Brasil e Itália, retrata a jornada de Christopher Clarke, ecologista escocês que lutou para estabelecer uma reserva natural nos estados do Acre e Rondônia, na floresta amazônica.

“Decidi fazer este documentário porque a destruição da floresta amazônica é uma preocupação para todos os cidadãos do mundo”, disse Morabito. diverso.

A programação do festival também incluiu o filme “Rio da Duvida”, do diretor Joel Betsini, que gira em torno da viagem do presidente dos EUA, Theodore Roosevelt, à região amazônica, e “flor de burete,“Dirigido por João Salaviza e René Nader Misura, sobre os povos indígenas de Krahu, O que causou sensação no Festival de Cinema de Cannes.

Flor de Buriti

Flor de Buriti

O melhor da variedade

Inscrever-se para Boletim Informativo Diversos. Para receber as últimas notícias, siga-nos no Facebook, TwitterE Instagram.

Clique aqui para ler o artigo completo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *