Documentário sobre reforma prisional no Brasil é exibido no hipódromo e gera debates na UF

O filme, que explora o poder do amor, confiança e disciplina para trazer criminosos condenados de volta à vida civil bem-sucedida no Brasil, também oferece uma plataforma para mostrar como pontos de vista díspares podem se envolver em conversas saudáveis ​​na Universidade da Flórida e na comunidade ao redor.

O documentário Unguarded estreia em 27 de fevereiro No Hippodrome Cinema no centro de Gainesville, apoiado por vários clientes que fornecem diversas perspectivas para construir laços cívicos fortes e saudáveis.

Os patrocinadores incluem Hipódromouma agência comunitária de artes cênicas; AVSI-EUAÉ uma organização internacional sem fins lucrativos que apóia a produção do filme; e unidades UF que incluem Centro de Estudos Latino-AmericanosE programa de honrasE Hamilton Centro de Educação Clássica e CívicaE Faculdade de Artes e Ciências LiberaisIncluindo Departamento de Sociologia, Criminologia e Direitoo Departamento de Estudos Espanhóis e PortuguesesE Centro de Estudos GregosE Centro de Humanidades e Esfera Pública.

“Acho que todos podemos concordar que a alta taxa de encarceramento da América indica que algo está errado com nossa sociedade”, disse Trish Travis, reitora associada da Faculdade de Artes e Ciências Liberais. “Pessoas razoáveis ​​podem discordar sobre como consertar isso. Mas não podemos encontrar soluções que funcionem e tenham amplo apoio a menos que pessoas com diversas perspectivas e experiências possam discutir e colaborar. Reunir todo esse poder de fogo acadêmico e cívico em um só lugar é o maneira. Para desencadear tal colaboração, deve ser uma noite maravilhosa “, disse ela.

mais:Arquivo Internacional de Ataque de Tubarão da UF: Mordidas Inexplicadas em 2022

mais:Os líderes de Gainesville promovem ações sobre habitação, prevenção do crime e muito mais no discurso anual do Estado da Cidade

READ  Desmatamento na Amazônia brasileira atingiu o maior nível em 15 anos

Simonetta d’Italia Wiener, diretora do premiado documentário, conduzirá um painel de discussão após a exibição do filme, às 17h30. Entre os palestrantes está Sean Hopwood, Professor Associado de Direito da Universidade de Georgetown. Patrick Mahoney, Diretor de Programas e Devoluções do Departamento de Correções da Flórida; e Pre Shelton, educador comunitário em Joseph House, um ministério católico baseado no Panhandle da Flórida. Hopwood e Shelton defendem pessoas que, como eles, foram presas.

desejando participar Deve registrar avançar.

“Desguardado” é um perfil da Associação de Proteção e Assistência ao Condenado (APAC), que mostra um novo rumo para o conturbado sistema prisional brasileiro. Ele usa o modelo de justiça restaurativa para demonstrar que mesmo aqueles condenados por crimes graves podem ser transformados em cidadãos produtivos quando a prisão se concentra mais na recuperação do que na punição.

A abordagem da APAC não é fácil. Os presos têm uma rotina que vai das 6h às 22h e inclui trabalhos obrigatórios, como limpeza de instalações e ensino. Embora as taxas de criminalidade e reincidência tenham continuado a aumentar nas prisões públicas brasileiras – onde a rebelião e o descumprimento dos padrões de direitos humanos são comuns – dentro do sistema APAC, elas diminuíram constantemente nos últimos cinquenta anos.

Essa abordagem agora está sendo estendida a outros países, embora aqueles por trás dela sejam rápidos em dizer que não é um modelo que pode ser simplesmente franqueado.

A justiça restaurativa, como a praticada nos presídios da APAC no Brasil, considera os efeitos do crime não apenas sobre os infratores, mas também sobre as vítimas e seus familiares. Procura reparar o dano e abordar as causas da violação. Então, ele lida com pessoas que vêm de perspectivas muito diferentes sobre o que aconteceu.

READ  Argentina x Brasil Transmissão ao vivo: placar final da Copa América 2021, placar final e reação

Da mesma forma, os patrocinadores da UF para o evento de Gainesville representam uma ampla gama de interesses.

Não há grupo mais desprezado na sociedade do que aqueles que cometem crimes. Infelizmente, tendemos a usá-los como meros objetos ou símbolos para apoiar uma agenda política, seja “duro com o crime” ou “desfinanciar a polícia”, disse John Stanford, diretor do Hamilton Center e professor do Levine College da UF. Lei.

“Espero que este filme nos permita discutir como os prisioneiros devem ser tratados como pessoas que devem ser responsabilizadas por suas ações, mas que, no entanto, merecem amor e respeito”, disse Stenford.

O Hamilton Center começou recentemente a patrocinar eventos e fornecer aulas de graduação na UF. Sua missão é “ajudar os alunos a desenvolver conhecimentos, hábitos de pensamento e habilidades analíticas e interpessoais para serem cidadãos e líderes em uma sociedade livre”. A abordagem do centro concentra-se na história intelectual europeia e americana, com suas raízes na filosofia clássica.

O outro patrocinador, o Centro de Estudos Latino-Americanos, também se concentra no Hemisfério Ocidental, mas geralmente olha um pouco mais ao sul, na América Latina e no Caribe. Isso inclui não apenas influências dos Estados Unidos e da Europa, mas também dos povos indígenas que habitavam a área.

“Temos muitos co-patrocinadores para este evento porque este problema não pode ser propriedade de um grupo ou resolvido de qualquer maneira”, disse Travis, diretor e professor da UF.

“Estou especialmente animado para dar as boas-vindas aos alunos de graduação de todas as nossas organizações patrocinadoras. Quando se trata de resolver problemas sociais complexos, estou colocando cada vez mais minha fé nesta próxima geração e em suas abordagens e ferramentas multidisciplinares. Eles são inovadores e colaborativos profissionais que o mundo precisa agora.”

READ  Acidentes aéreos que abalaram o mundo dos esportes

Esta história foi produzida pelo Escritório de Notícias e Publicações da Faculdade de Artes e Ciências da Universidade da Flórida. O repórter pode ser contatado em [email protected].

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *