Comunicado conjunto da reunião entre a Ministra do Meio Ambiente do Brasil, Sra. Marina Silva, e o Comissário do Meio Ambiente, Sr. Virginius Cienquevichos

A Ministra do Ambiente e Alterações Climáticas, Marina Silva, organizou uma reunião, no dia 2 de maio de 2023, com o Comissário Europeu para o Ambiente, Oceanos e Pescas, Virginius Sienkiewicz.

Eles declararam seu compromisso de fortalecer o relacionamento estratégico entre o Brasil e a União Européia sobre clima e meio ambiente, e reiteraram seu forte compromisso e disposição de cooperar no enfrentamento da tríplice crise planetária de mudanças climáticas, perda de biodiversidade e poluição, promovendo o desenvolvimento sustentável e promover um ambiente ambiental justo e inclusivo. transição.

Ambos os lados enfatizaram a necessidade de uma resposta climática urgente e esforços para a conservação da natureza e uso sustentável. Eles enfatizaram o compromisso da União Europeia e do Brasil com o alcance da Agenda 2030 e dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Os dois funcionários se comprometeram a trabalhar juntos para fortalecer a governança global e alcançar resultados ambiciosos sob os auspícios da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC), do Acordo de Paris e da Emenda de Kigali ao Protocolo de Montreal. Além disso, eles enfatizaram a importância da Convenção sobre Diversidade Biológica e elogiaram a Estrutura de Biodiversidade Global de Kunming-Montreal como um passo essencial para reduzir a perda de biodiversidade e garantir que as contribuições da natureza para as pessoas sejam valorizadas, preservadas e aprimoradas.

O Brasil e a União Européia reafirmaram seu forte compromisso com a conservação efetiva, uso sustentável e gestão das águas terrestres, interiores, marinhas e costeiras.

Eles também saudaram a conclusão de um instrumento internacional juridicamente vinculativo sobre a biodiversidade marinha além das áreas de jurisdição nacional (BBNJ), que representa um marco e um claro compromisso com a proteção dos oceanos e seus recursos naturais, e pediram sua pronta ratificação.

O Ministro Silva e o Comissário Sinkevičius deram seguimento à proposta da UE de explorar e trabalhar nos preparativos para o estabelecimento de um “Diálogo Ecológico e Ambiental de Alto Nível Brasil-UE” no âmbito da Parceria Estratégica UE-Brasil.

READ  Credor brasileiro Itaú reafirma sua orientação para 2022 com salto no lucro líquido no primeiro trimestre

Esse diálogo visa promover a troca de opiniões sobre mudanças climáticas locais e políticas ambientais, projetos de cooperação bilateral, além de coordenar reuniões e fóruns multilaterais.

O ministro Silva e o comissário Sinkevičius reconheceram o forte conhecimento técnico do Brasil no que diz respeito ao monitoramento do desmatamento, em particular por meio do sistema PRODES.

O Brasil afirmou sua meta de eliminar o desmatamento até 2030.

A União Europeia introduziu o Regulamento de Desmatamento como uma contribuição para enfrentar a perda global de florestas e apoiar os esforços para deter e reverter o desmatamento.

Eles expressaram seu apoio aos significativos esforços em andamento do Brasil para reduzir as taxas de desmatamento em todos os biomas, especialmente na região amazônica.

Nesse contexto, eles também concordaram em continuar a cooperação e trocar opiniões sobre como aprofundar a cooperação técnica e financeira entre o Brasil e a União Européia.

O ministro Silva e o comissário Sinkevičius também discutiram o papel positivo desempenhado pelo Fundo Amazônia como um mecanismo transparente e robusto de pagamento baseado em resultados.

O Brasil saudou a disposição da UE de aderir ao Fundo Amazônia.

Eles discutiram as oportunidades oferecidas pelas abordagens de economia circular, bem como uma bioeconomia sustentável para oferecer múltiplos benefícios ao meio ambiente, à sociedade e à economia.

Ele destacou o potencial para maior cooperação em questões como plásticos e gestão de resíduos.

Eles compartilharam o interesse em explorar as possibilidades de promover projetos de pesquisa colaborativos no campo da bioeconomia sustentável, com o objetivo de construir e fornecer soluções sob medida para os desafios mais prementes, como segurança alimentar, mudanças climáticas e perda de biodiversidade.

A necessidade de geração de empregos e melhor acesso a mercados para produtos sustentáveis ​​também foi mencionada.

READ  Seadrill Limited (SDRL) - Atualização Q1 2021

Ambas as autoridades enfatizaram a necessidade de adotar uma abordagem ampla para a qualidade do ar e da água, incluindo uma boa gestão de produtos químicos perigosos, microplásticos e pesticidas.

Nesse contexto, Brasil e União Européia têm destacado a importância de alcançar resultados tangíveis nas Reuniões Conjuntas das Partes (COP) em curso nas Convenções de Basileia, Roterdã e Estocolmo, que estão ocorrendo em Genebra, na Suíça.

O Brasil e a União Européia também expressaram seu apoio à Resolução 5/14 da Assembleia das Nações Unidas para o Meio Ambiente (UNEA), que lançou negociações para um instrumento internacional juridicamente vinculativo sobre a poluição plástica, incluindo a poluição no ambiente marinho.

Eles concordaram em cooperar para um resultado ambicioso dessas negociações, destacando a importância da próxima segunda reunião do Comitê Intergovernamental de Negociação (INC2).

Os dois lados também discutiram os desafios da água e concordaram em se engajar no diálogo, bem como no acompanhamento da recente Conferência das Nações Unidas sobre Água e sua agenda.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *