Campos de golfe querem se conectar a estações de esgoto para reduzir consumo

setor responsável por apenas 6% do consumo de água; Ele quer fazer melhor

Campos de golfe no Algarve Você quer ser conectado rapidamente às suas estações de tratamento de águas residuais Consome apenas água de esgoto – medida para reduzir o consumo da rede pública que dirigentes do setor lamentam tarde na implementação.

Este é o parágrafo inicial de uma reportagem transmitida pela RTP (Estado) esta manhã, no início de mais uma semana cansativa, com Estranhamente grávida é silenciada pelas autoridades Sobre como o sul do país vai enfrentar este verão, e servir a população local face às perspetivas futuras Milhões de turistas chegam de julho a setembro.

Campos de golfe são responsáveis ​​por apenas 6% do consumo de água da região. Isso foi esclarecido no mês passado pelo presidente da comunidade intermunicipal do Algarve, António Pena. No entanto, eles estão ansiosos para reduzir ainda mais esse percentual, Se ao menos as autoridades “trabalhassem juntas”.

Pedro López, administrador do Grupo Pestana no Algarve, disse à Lusa: “Temos falado em investir (em formas de reduzir o consumo), mas Muito poucos passos concretos foram dados No chão”.

Diz a agência de notícias, Lopez “lamenta Ter uma série de investimentos que foi planejado há vários anos e está Ainda não saiu do chãocomo os planejados para Construção de uma usina de dessalinização (ou plantas), para Uso de água de estações de tratamento de esgotoPara reparar vazamentos estruturais dentro da rede principal de água, etc.

Esta é uma “crise à vista” há anos: a seca não veio “do nada”. Os cientistas/meteorologistas alertam para a situação em que se encontra o Algarve desde pelo menos a década de 1990 (se não antes). No entanto, a abordagem dos campos de golfe às autoridades, para chamar estações de tratamento de esgoto para que possam usar esgoto, está se movendo lentamente.

READ  CNN Brasil anuncia nomeação de novo repórter nos Estados Unidos

Nos últimos três anos, em particular o Grupo Pestana – responsável pela gestão de cinco dos campos do Algarve – implementou medidas para reduzir o consumo de água nos seus campos, “de um terço para 40%”.

Essas medidas incluem o uso de “novos tipos de grama” que requerem menos água.

No Campo de Golfe Gramacho da Lagoa, no Carvoeiro, por exemplo, López apontou à Lusa manchas castanhas em certos vegetais que colorem “porque recebem menos água e menos fertilizantes”.

Mas o grupo acha que eles poderiam funcionar ainda melhor… se ao menos estivessem conectados a estações de tratamento de águas residuais, ou ETARs, como são conhecidas aqui.

“Pedro López não tem dúvidas de que “a água (das ETARs) que hoje se desperdiça, vai para os rios e para o mar, (…) Llosa. .

agora, Três campos de golfe ligados à ETAR no Algarve“mas Tanta coisa para fazerLopes confirma.

A Lusa explica que o Grupo Pestana só vai começar a utilizar água da ETAR no próximo verão, em dois dos seus cursos no Algarve.

Roy Graf, diretor de golfe do Grupo D. Pedro (Vilamoura), que também tem cinco campos no Algarve, diz que a filosofia da empresa é “ano após ano” usar apenas o necessário. No entanto, cada hectare de campo de golfe consome em média 8.000 metros cúbicos de água por ano, e quando vem de água subterrânea, através de poços, reduz a água subterrânea disponível na área, que atende outras preocupações, inclusive de muitas famílias.

Os cursos de D. Pedro também estão “totalmente prontos para se conectar com as ETARs”, mas o processo é demorado. Até 2025, dois cursos, possivelmente três, deverão estar totalmente regados com águas residuais, disse Graf à Lusa.

READ  A marca Hyatt Regency estreou em Lisboa, Portugal

“Há um grande esforço por parte das Águas de Portugal, das Águas do Algarve, da APA (Agência Portuguesa do Ambiente), através dos campos de golfe para que a água venha das ETARs com qualidade suficiente para manter os nossos vegetais em bom estado, sem pôr em perigo o público em geral”, disse.

Mas tudo leva mais tempo do que o setor gostaria para trazer visitantes para a área durante todo o ano, enquanto os efeitos de anos de chuvas abaixo do ideal alteram inexoravelmente o ecossistema da área.

[email protected]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *