Brasil levanta $ 8,4 bilhões em licitação 5G, Telecom News, ET Telecom

Operadora de telecomunicações segue abertura de evento para recebimento de licitações em leilão para construção de infraestrutura 5G na Agência Nacional de Telecomunicações de Brasília, Brasil, quinta-feira, 4 de novembro de 2021 (AP Photo / Eraldo Peres)

BRASÍLIA: O Brasil arrecadou US $ 8,4 bilhões em taxas de investimento e licenciamento em uma licitação internacional para construir e operar uma das maiores redes de dados 5G do mundo, disse sexta-feira o ministro das Comunicações, Fabio Faria, saudando um “grande sucesso”.

O resultado final – 46,8 bilhões de riais (US $ 8,4 bilhões) – ficou aquém dos US $ 9 bilhões projetados pelo governo.

Mas Faria estava otimista com a conclusão do leilão de dois dias, dizendo em entrevista coletiva que o resultado “superou todas as expectativas”.

As propostas vencedoras foram para empresas como a Tim, subsidiária local da Telecom Italia. a unidade brasileira do grupo espanhol Telefonica; e a Claro, do magnata mexicano das telecomunicações Carlos Slim America Movil.

Seis novos participantes do mercado brasileiro também apresentaram propostas vencedoras e agora se tornarão provedoras de serviços de telefonia móvel, aumentando a concorrência e beneficiando os consumidores.

O Brasil, a maior economia da América Latina, está procurando aproveitar as vantagens da chamada tecnologia móvel 5G para acelerar o desenvolvimento de seus setores industriais e de agronegócio – bem como fornecer internet de alta velocidade para telefones móveis de uma população de 213 milhões.

A licitação, que atraiu 15 licitantes, foi pelo direito de construir e operar vários “blocos” do espectro de frequências por um período de 20 anos.

O Brasil também apresentou uma proposta para desenvolver uma rede separada que será dedicada às comunicações governamentais.

As licitações para este último excluíram todos os equipamentos da gigante chinesa de telecomunicações Huawei, que tem sido alvo de acusações de espionagem norte-americanas que colocaram o Brasil em apuros, forçando-o a um impasse técnico turbulento entre Pequim e Washington.

READ  Telefonica Brasil: Visão geral dos resultados do primeiro trimestre

As duas grandes potências mundiais também são o maior parceiro comercial do Brasil e o país está sob pressão de ambos os lados sobre as regras básicas para sua rede 5G.

Isso atrasou a licitação do início de 2021, conforme planejado inicialmente.

Apesar do atraso, analistas concordaram com Faria que a licitação veio bem para o Brasil.

“Foi um sucesso absoluto”, disse Marcus Ferrari, da Conexis Brasil Digital, grupo que representa cinco empresas avançadas.

“Havia um grande apetite no mercado”, disse ele à AFP.

Eduardo Todd, presidente da consultoria Teleco, disse que a licitação foi uma vitória para provedores de serviços móveis estabelecidos e novos participantes no mercado brasileiro.

“Por um lado, as operadoras existentes conseguiram o espectro de que precisariam para desenvolver a rede 5G com a largura de banda necessária. Por outro lado, havia espaço para novos participantes. Este é um desenvolvimento muito positivo”, afirmou.

Tratores conectados e telemedicina

O presidente Jair Bolsonaro qualificou a oferta como “histórica” ​​na quinta-feira, ao abrir o leilão em Brasília com um golpe simbólico do martelo do vendedor.

O Brasil espera que a tecnologia 5G abra novos horizontes para sua economia, de tratores conectados e drones para monitorar colheitas para o setor agrícola em expansão, a carros autônomos e telemedicina para preencher lacunas na infraestrutura do país sul-americano.

“Os consumidores não verão muita diferença, além de tempos de download mais rápidos de filmes e vídeos. Mas, do ponto de vista da indústria, isso abrirá uma realidade totalmente nova para as fábricas, o agronegócio e o setor de produção”, disse Ferrari. disse.

O ministro Faria disse que a implantação do 5G teria um “impacto significativo” no crescimento econômico do Brasil na próxima década.

READ  5 uísques com sabor que trarão variedade à sua coleção de uísques

As empresas vencedoras terão que lançar o serviço em Brasília e nas capitais dos 26 estados até agosto de 2022.

Outras cidades com população de mais de 30.000 pessoas podem esperar atendimento entre 2025 e 2028.

A licitação também incluiu projetos de ampliação e melhoria do acesso à internet em áreas remotas, ao longo de rodovias e escolas públicas, em um país que ainda tem 40 milhões de habitantes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *