Vídeo secreto provoca indignação com jantares secretos da elite parisiense

A investigação ocorre depois de uma reportagem de TV transmitida pelo M6 na sexta-feira, mostrando imagens de câmeras escondidas de dois restaurantes de luxo cheios de convidados sem máscara.

No vídeo, um jornalista disfarçado entra em um restaurante privado com as venezianas fechadas e é recebido por um garçom de luvas brancas. Ela foi questionada sobre quem foi convidado em seu nome e foi informado: “Assim que você entrar pela porta, não haverá mais Covid.”

O proprietário do restaurante é ouvido explicando que o menu começa em € 160 ($ 190) por pessoa. Por € 490 ($ 580), os clientes podem saborear champanhe enquanto comem foie gras com trufas e lagostins com molho de gengibre.

Um porta-voz do procurador-geral em Paris disse à CNN na segunda-feira: “Estamos investigando possíveis acusações de perigo e trabalho não declarado”. “Vamos verificar se os encontros foram organizados em violação das regras sanitárias e determinar quem são os organizadores e potenciais participantes.”

Restaurantes na França Está fechado desde o final do ano passadoComo o país está lutando contra uma terceira onda de infecções com o Coronavírus. Outro “bloqueio limitado” entrou em vigor na semana passada, quando o presidente Emmanuel Macron advertiu que o país corria o risco de “perder o controle” da epidemia.

O vídeo continua mostrando outro jantar que acontece em um ambiente luxuoso, com grandes móveis e pinturas douradas. Os convidados são vistos trocando “la bise” e beijando-se na bochecha.

O organizador parece estar afirmando: “Esta semana jantei em dois ou três restaurantes, os chamados restaurantes subterrâneos, com um certo número de ministros”.

Devido à decoração distinta, o restaurante foi posteriormente identificado como Palais Vivienne de propriedade de Pierre-Jean Chalençon.

READ  A polícia de Mianmar matou quatro manifestantes no dia mais sangrento desde o golpe

O advogado de Challinson divulgou um comunicado no domingo admitindo que a voz distorcida no vídeo pertencia a seu cliente, mas ele estava brincando quando disse que ministros do governo compareceram ao jantar.

O escândalo irritou muitos online, com a hashtag #OnVeutLesNoms (We Want The Names) espalhada no Twitter na segunda-feira.

O porta-voz do governo Gabriel Attal disse à LCI no domingo que as autoridades vêm investigando denúncias de festas ilegais há meses e que 200 suspeitos foram identificados até agora. “Eles enfrentarão punições severas”, acrescentou Atal.

Correção: uma versão anterior desta história afirmava incorretamente que os restaurantes fecharam na França desde o mês passado. Está fechado desde o ano passado. Isso foi corrigido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *