Terapia intensiva em 62% do limite crítico

O número de pacientes Covid-19 em terapia intensiva corresponde a 62% do limite crítico de 255 leitos, com a área central excedendo 100% do nível de alerta.

De acordo com as “linhas vermelhas” da Direcção-Geral da Saúde (DGS) e do médico do Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge (INSA), este valor é 62% em Portugal Continental superior ao da semana anterior, que foi de 56%.

“É cada vez maior o número de doentes internados em unidades de cuidados intensivos”, refere o relatório, com a região Centro a apresentar a maior taxa de ocupação, seguida do Norte e do Algarve.

Na quarta-feira, o centro estava em cuidados intensivos a 103% (35 doentes) do nível de alerta, Norte 76% (57), Algarve 74% (17), Lisboa e Vale do Tejo 43% (44) e Alentejo 25% ( cinco).

O nível de alerta selecionado corresponde a 75% do número de leitos disponíveis para pacientes Covid-19 em cuidados intensivos em Portugal Continental.

O documento afirma que a gestão da capacidade do SUS pressupõe uma resposta em rede, o que significa que, no caso da medicina intensiva, as necessidades regionais podem ser atendidas com respostas de outras regiões de maior capacidade.

No que se refere aos óbitos por Covid-19, está em curso a análise do risco de pandemia, que atingiu, na quarta-feira, 23,6 óbitos em 14 dias por milhão de habitantes, o que corresponde a um aumento de relativamente 8% em relação à semana anterior e a uma tendência de aumento.

“Esse número ultrapassa o limite de 20 mortes em 14 dias para um milhão de pessoas estabelecido pelo Centro Europeu de Controle de Doenças (ECDC), indicando o impacto significativo da epidemia na mortalidade”, alerta o relatório.

READ  Vacinação COVID-19: Três obstáculos que os países já enfrentam | Vacina

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *