Teatro dá acesso a pessoas que sofrem com a falta de cultura

Uma adolescente chamada Isabella Glesserio, de 14 anos, com problemas de visão, se refugiou em diversos pontos do teatro acessível, e então descobriu o aplicativo Vem CA – plataforma de cultura acessível, da organização não governamental (ONG) Escola Gente, com audiodescrição.

“Acho que vou ver o que está acontecendo e enviarei para você.” Também é importante que você consiga visualizar o cenário. “Porque muitas vezes uma descrição não é suficiente. “É importante saber que isso não é um cenário e que as pessoas também vão sair.” Não há esperança neste momento de que serão necessárias outras partes da audiodescrição.

Em memória do fato de Isabella a amar tanto, “Mai pela Caixa”. Sempre gostamos que outras pessoas visitem o teatro disponível para observar como funciona a audiodescrição. Para isso, utilizamos os números de telefone. Os jovens moram no Centro Educacional Integrado Espanhol (CEI), na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro. Apesar de não ser uma escola especializada, o CEI disponibiliza recursos para ajudar alunos com deficiência. A mãe de Isabella, Verônica, enfatizou que a escola é um conjunto abrangente de atitudes e atitudes pedagógicas também.

Brasília (DF) 05/11/2023 - Claudia Wernick, Fundadora da ONG Escola de Gente, Teatro Chegada Foto: Claudia Wernick / Facebook

Brasília (DF) 11/05/2023 – Aplicativo Vem CA – Plataforma de Cultura Acessível – Cláudia Wernick/Facebook

Esse sentimento está incluído na relação com o teatro alcançada por Jéssica Mendes, que fazia fotografia e assessoria da Escola Genty. Jessica sofre de Síndrome de Down e deficiência intelectual. Trabalhamos também na Secretaria Nacional de Direitos Humanos como imagens de acontecimentos. Por isso, a experiência que você terá com o teatro acessível pela Escola de Gente é um grande prazer.

“Eles são ótimos colegas. Percebo que nossas peças e máquinas não costumam encontrar boca, mas estragam os movimentos. Ó corpo e arte. “Gosto de muitos gestos, de uma forma de arte acessível e de uma linguagem simples.” Jéssica entra para o grupo “Pessoas e Amigos Inclusos” da ONG, que sempre tem alguém para explicar a privacidade das pessoas com deficiência. “Pedem-me que use uma linguagem simples, para que as pessoas entendam a linguagem.”

Liderança

A cidade do Rio de Janeiro se prepara para ser o primeiro estado brasileiro no Dia Estadual do Teatro. O Projeto de Lei 939/2023, da procuradora-geral Elika Takemoto, foi aprovado por unanimidade na primeira sessão eleitoral da Assembleia Legislativa (ERG), no dia 21 de setembro, posteriormente, na segunda votação, no dia 27 do mesmo mês. A Ágora não conseguiu dar ao Governador Claudio Castro uma oportunidade de ganhar o poder.

READ  Infantino quer segurar suspenso Brasil x Argentina

Professora licenciada de física pelo Centro Federal de Tecnologia Celso Soco da Fonseca (Cefet-RJ), Elika Takemoto é titular do Banco do Partido dos Trabalhadores (PT) em Educação e é Diretora de Cultura, Comunicação, Inclusão e Acessibilidade. .

Falando à Agência Brasil, aqui está a oferta de um teatro ao alcance de todos, sem falta, como necessidade básica. “Primeiro, porque as pessoas seguem a Constituição. É direito de todas as pessoas ter acesso à educação, à saúde, ao laser e às artes. “É uma boa ideia por esse motivo.” Comentando isto, os equipamentos culturais, que destroem o teatro, nem sempre fazem parte da acessibilidade. “Tem muita gente que quer participar, como painel ou para assistir sem descanso, sem condições, porque o teatro está inacessível.” Portanto, promover um maior acesso para pessoas com deficiências culturais envolve entrar num mundo mais inclusivo e acessível.

No que diz respeito à acessibilidade, o representante destaca apenas a tradução da Libras, a presença de rampas, audiodescrição e touchpad. “As pessoas dizem tudo junto e muito mais. “Melhorar a acessibilidade para diversas deficiências.” Através do especial Elika Takemoto é possível conversar com a agência brasileira graças às apresentações de áudio que ela utiliza. “Eles também vêm até mim com uma interface diferente.”

O Dia Estadual do Teatro Acessível será comemorado na mesma data no Dia Nacional e no Dia Municipal do Teatro Acessível do Rio de Janeiro, que acontecerá no dia 19 de setembro. “A gentil está em consonância aqui.” Fiquei arrasado porque o Rio de Janeiro foi a primeira cidade a ganhar direito próprio. Pretende suscitar um debate sobre o teatro à disposição de outros equipamentos culturais em geral, como o cinema, por exemplo. “É uma forma de chegar à comunidade, por isso é desconfortável quando você está em um lugar inacessível. “A gentil está querendo trazer essa sensibilidade.”

Outro objetivo é influenciar os legisladores no Brasil de forma semelhante ao modelo do Rio de Janeiro. Os dados são inseridos formalmente no calendário de streaming. O projeto da Lei 939/2023 também se baseia na história e na trajetória da ONG Escola de Gente, criada pela jornalista Claudia Wernick, em 2002, com a proposta de entregar um serviço de inclusão comunitária à comunidade, principalmente de grupos vulneráveis ​​como pessoas . perda.

READ  Filme brasileiro sobre amor queer estreia nos Estados Unidos

Consito

Criou uma expressão teatral disponível na Gente Escola de Gente que inclui, ou controla, a Internet. “Para nós, teatro acessível não é teatro para pessoas com deficiência e não é teatro para pessoas com deficiência. Para nós, teatro acessível é teatro de liberdade, que garante que pessoas com deficiência ou direito participem da vida cultural de suas cidades através do design. Podem iniciar produções, sem rotina, no quadro, artistas sérios, luminosos, ou o que quiserem, porque o palco ou eles estão montados para pensar em tudo, se quiserem, competência, talento. “É dinheiro para estudar e contribuir com produtos culturais”, enfatiza Claudia Agência Brasil.

Cláudia disse que é teatro de liberdade porque não é teatro disponível, e é alguém que tem deficiência e precisa estar munido de oportunidades para ganhar o que quer ou participar e quer participar. O teatro descartável não é um lugar onde as pessoas têm falta de mão de obra ou de mesa. “Esta não é a percepção da Escola Ginty. É o teatro que garante a qualquer pessoa o direito de participar, contribuir e usufruir dele. Portanto, é necessário proporcionar muita acessibilidade. É um teatro acessível que oferece acesso total a todas as pessoas exigentes.

O jornalista do futuro depende dos equipamentos culturais para ter pleno acesso, portanto só é responsável por aquilo que produz ou se apropria. Isso significa que todas as casas especializadas devem ter fontes de audiodescrição, equipamentos treinados para receber pessoas, tradutores da família Libra, lendários por conhecerem uma variedade de pessoas, e profissionais contratados que ingressem em Libra, para qualquer ocasião personalizar muito as pessoas no Teatro, além de visitas para o roteiro.

“Teatro Acessível é tudo isso. Tudo ganhou vida e não está mais lá quando o show começa. É voltado para conforto, dignidade, independência e independência para pessoas com autismo. Claudia defendeu, inclusive, que o programa de recorte fosse falso, ampliando as letras e contrastando com o corpo, para que as pessoas não gastassem, muitas vezes, dinheiro para comprar os olhos que ela tem. Há muitas províncias que caminham para um tornado ou teatro acessível cada vez mais interessante e cada vez mais as pessoas ajudam.

Brasília (DF) 05/11/2023 - Claudia Wernick, Fundadora da ONG Escola de Gente, Teatro Chegada Foto: Claudia Wernick / Facebook

Brasília (DF) 05/11/2023 – Claudia Wernick, Fundadora da ONG Escola de Gente, Teatro Chegada Foto: Claudia Wernick / Facebook

READ  Getaway: White Party Palm Springs retorna em 2022

Mostra

Quando a Lei Nacional do Teatro Acessível foi aprovada, em 2017, a Escola Gente criou uma mostra para revelar ao público qual teatro estava disponível. Esta mostra está na quarta edição, sempre na Lei Rouanet. “É um projeto onde as pessoas criam um teatro acessível, onde há mesas e equipamentos teatrais disponíveis, só para mostrar o que está sempre sendo apresentado”, explica Claudia Wernick.

Graças ao apreço de Cláudia, ela não teve a sua cultura nem acesso ao palco, onde as pessoas eram muito parciais com as suas decisões, com a sua independência, nem com a forma como ela via o mundo, e viveu para proteger as suas famílias. Ela a crédito, contudo, que está avançando de uma criação do nacional.

O ano de 2024 será especial, segundo Claudia, porque realizará uma celebração que inclui três declarações: o Dia Nacional do Teatro Aberto, o Dia Municipal e o Dia Oficial do Teatro Aberto no Rio de Janeiro.

Incluídos e Sisos

A ideia do teatro partiu da filha de Claudia, a atriz e modelo Tata Wernick, que em 2003 reuniu outros estudantes de artes cênicas da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UniRio) para criar o grupo “Inclusões e Inclusões”. Sisos” como projeto na Escola do Povo. Este conjunto atinge todas as suas funcionalidades e atividades com a máxima acessibilidade. “Sentir-se feliz por contribuir com a nossa família é muito positivo e não dá vontade de mobilizar as pessoas por outros motivos. Tem gente que pensa todos os dias e pensa em melhores práticas. Porque o teatro acessível é uma ideia de vanguarda. “Para fazer isso com meus amigos.”

Durante a apresentação em Juiz de Fora (MG), por exemplo, a Fundação Escola Gente percebeu que crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA) não poderiam entrar no salão antes do início da sessão. “Quando você conhece pessoas que são gravemente deficientes antes, isso não é bom para o autismo, porque elas estão muito interessadas e entram na iniciação ou na hora da exibição. Você vê que este é um prato onde não há. É fácil e desafiador. você aprende.Desde então “Pessoas com autismo estão entrando em nosso mundo único no momento da iniciação”, enfatizou Claudia Wernick.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *