Relatora Especial da ONU, Francesca Albanese, é proibida de entrar em Israel

A Relatora Especial da ONU para os Territórios Palestinos, Francesca Albanese, será proibida de entrar em Israel, disseram o ministro das Relações Exteriores de Israel, Israel Katz, e o ministro do Interior, Moshe Arbel, em um comunicado conjunto na segunda-feira.

“A era do silêncio judaico acabou”, disseram os dois ministros. “Se a ONU quiser voltar a ser um órgão relevante, os seus líderes devem repudiar publicamente as palavras anti-semitas do Enviado Especial – e demiti-la imediatamente.”

“Proibi-la de entrar em Israel pode lembrá-la da verdadeira razão que levou o Hamas a massacrar crianças, mulheres e adultos.”

O sistema de entrada da Autoridade de População e Imigração contém uma nota que proíbe a emissão de visto para um albanês.

“Você tem o direito de resistir”, fala a Relatora Especial da ONU para os Territórios Palestinos, Francesca Albanese, em uma conferência do Hamas em Gaza em 30 de novembro (Crédito da foto: CORTESIA ADAM MILSTEIN)

Albanês: 7 de outubro é uma resposta à opressão israelense

O anúncio ocorre após o comentário de Albanese na semana passada, que gerou reação negativa.

Em resposta ao presidente francês Emmanuel Macron, que disse que o massacre de 7 de Outubro foi “o maior massacre anti-semita do nosso século”, Albanese declarou numa publicação no X: “As vítimas de 10/07 não foram mortas por serem judias, mas em resposta a isso.” à opressão israelense.

READ  Reino Unido e Alemanha realizam primeira interceptação conjunta de aeronaves russas perto do espaço aéreo da OTAN - relatórios

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *