Qual é o plano em Portugal para o transporte ferroviário de alta velocidade?

Os planos já foram publicados e já é possível perceber que tipo de trabalhos serão realizados em Portugal, concretamente entre Lisboa e Porto, na chamada “Linha do Norte”.

Por que é necessário?

A Linha do Norte, linha ferroviária entre Lisboa e Porto, é a linha com maior número de comboios no país, tanto de mercadorias como de passageiros. Segundo o governo português, 90 por cento dos comboios que transportam mercadorias comercializadas em Portugal passam pela Linha do Norte. No que diz respeito aos passageiros, mais de 50 por cento dos passageiros em Portugal também se deslocam entre as estações Porto Campanha e Lisboa Oriente.

Apesar de todos os esforços que estão sendo feitos, mais trens não podem circular na linha e a única opção que resta é construir uma linha ferroviária alternativa para que a oferta aumente e a população tenha uma ampla gama de serviços ferroviários circulando naquela área.

O que é o planejamento governamental?

As obras estão divididas em três fases distintas, todas elas concluídas após 2030, o que significa que as obras continuarão por mais de seis anos.

A primeira fase, que poderá estar concluída até 2028, inclui a construção de uma nova linha ferroviária entre o Porto e o Sul, na região de Coimbra. Esta fase será dividida em duas partes, começando pela construção da via entre o Porto e Oia, na região de Aveiro. Já foi iniciado um concurso público internacional para esta construção.

A segunda fase, que poderá estar concluída até ao final de 2030, visa a construção do troço da ferrovia que vai de Sori ao Carrigado, na região de Lisboa.

A fase final da construção do comboio de alta velocidade terminará com a construção da via do Carregado à estação Lisboa Oriente após 2030.

READ  Compre ou venda ações do Banco Santander (Brasil) SA (BSBR) agora

Segundo a Infraestruturas de Portugal (propriedade intelectual), será construída uma linha ferroviária dupla, para que os trens possam cruzar durante a viagem, sem necessidade de parar nos pontos de passagem.

A construção utilizará vias férreas de bitola ibérica (1688 mm), onde circularão outros comboios de longo curso, como o InterCidades e o Alfa Pendular, na nova via férrea, permitindo aumentar a largura de outros comboios que circulam em Portugal. Esta medida pode resolver alguns dos atrasos dos comboios de que muitos passageiros se queixam.

Onde os trens irão parar?

O principal objetivo do comboio de alta velocidade é fazer uma viagem direta e sem escalas do Porto a Lisboa e vice-versa. No entanto, alguns trens irão parar durante a viagem. Alguns comboios deverão parar em Vila Nova de Gaia, Aveiro, Coimbra e Leiria.

Para que os trens parem nas cidades citadas, parte do plano é reestruturar as estações ferroviárias e criar novas quando necessário. Assim, as estações de Aveiro, Coimbra-B e Leiria serão reestruturadas, para que o comboio de alta velocidade tenha condições de paragem, desembarque e recepção de passageiros.

Em Vila Nova de Gaia, na região do Porto, será construída uma nova estação subterrânea em Santo Ovídio, onde também existe uma estação de metro. De Vila Nova de Gaia ao Porto, o comboio viajará a uma velocidade mais lenta, pois a estação final (Porto-Campanha) está mais próxima.

Quanto tempo as pessoas economizarão com o trem de alta velocidade?

O trem de alta velocidade deverá viajar a uma velocidade máxima de 300 quilômetros por hora, para poder competir com o tráfego aéreo e também com outras alternativas, como o transporte terrestre.

Os comboios começarão a circular na nova linha ferroviária após as fases de construção e, após a primeira fase, a viagem Porto Lisboa demorará duas horas, cerca de 50 minutos a menos que o tempo de viagem atual. Após a segunda fase, existirão dois serviços diferentes de comboio de alta velocidade em funcionamento: um sem paragens e outro com quatro paragens.

O voo direto terá a duração de 1 hora e 19 minutos, enquanto o voo com escalas em Aveiro, Coimbra-Bey e Leiria terá a duração de apenas 1 hora e 45 minutos.

Além de todos os benefícios usufruídos pelos passageiros, os residentes de Leiria podem ter uma vantagem acrescida na viagem para Lisboa, já que atualmente a viagem de comboio de Lira a Lisboa pode durar mais de quatro horas com quatro comboios diferentes.

Os ingressos serão caros?

O governo português não pode fornecer esta informação, uma vez que a empresa que opera os comboios de alta velocidade ainda não foi escolhida, embora se saiba que CB Participará do concurso público para exploração dos trens.

No entanto, num Q&A publicado pelo governo português, espera-se que as tarifas aplicadas nos comboios de alta velocidade sejam semelhantes às que as pessoas estão habituadas a pagar quando viajam no Alfa Pendular.

Outros projetos

Além de todas as obras mencionadas previstas, a IP informa que serão realizadas algumas outras obras na Linha do Norte.

A linha ferroviária, conhecida como Linha do Oeste, será duplicada em Leiria, para que possam circular mais comboios ao mesmo tempo. Obras semelhantes serão realizadas a partir de Alverca e Azambuja em Lisboa e Tavero e Coimbra-B em Coimbra.

Será concluído?

Com a crise política em Portugal e as mudanças governamentais, a população em geral e os ministros estão ansiosos por ver os resultados dos projetos que já foram assinados e estão a ser implementados.

READ  Monsoon Consulting sobre como proteger os talentos dos funcionários de Kyiv

No dia 12 de janeiro, durante a abertura do concurso público, António Costa aconselhou os futuros ministros a respeitarem o calendário e os prazos, para que os moradores possam usufruir dos novos serviços conforme prometido.


autor

Bruno G. Santos, que gostava muito de música e de seu prazer culposo em processos criminais, decidiu estudar jornalismo e comunicação, esperando unir as duas paixões na escrita. O jornalista é também um viajante ávido que adora escrever sobre outras culturas e descobrir várias jóias escondidas de Portugal e do mundo. Cartão de imprensa: 8463.

Bruno J. Santos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *