Por que este país sozinho pode enviar Bitcoin e Ethereum mais alto

Os ativos digitais formaram um caminho que não pode mais ser ignorado. Eles avançaram o suficiente na última década ou tanto que os países e cidades estão começando a perceber que a adoção da tecnologia os posicionará melhor a longo prazo.

Um país que está todo em criptomoedas é o Brasil. Sua população de 215 milhões agora vive em uma das economias mais criptocêntricas do mundo.

A criptomoeda está integrada em diferentes níveis da economia brasileira. A bolsa de valores possui seis fundos relacionados a criptomoedas (ETFs), incluindo os tradicionais Bitcoin (BTC 0,67%) ETF e ETF mais recente que rastreia criptomoedas como Ethereum (ETH 2,38%)E a Uniswap (UNI -0,12%)E as curva (CRV -0,64%) que apóia projetos de Finanças Descentralizadas (DeFi).

Megacidades como o Rio de Janeiro estão mostrando como os governos locais podem usar ativos digitais e tecnologia blockchain. No final de julho, o ministro das Finanças do Rio disse que a cidade estava procurando adicionar Bitcoin ao seu portfólio do Tesouro, dizendo que a cidade espera se tornar “o ecossistema de criptomoedas do Brasil” e “a capital de inovação e tecnologia do país”.

O abraço nos mais altos níveis de governo e finanças também se reflete na propriedade de criptomoedas entre os cidadãos do Brasil. Estima-se que aproximadamente 16% das pessoas entre 16 e 64 anos possuam alguma forma de criptomoeda. Isso lidera toda a América Latina e supera os Estados Unidos, que fica em torno de 12%.

Os bancos estão chegando

Parece que 16% continuarão a crescer com base em desenvolvimentos recentes com bancos estaduais. Em junho passado, o maior banco digital do país, Novas participações (Não -3,85%) O Nubank lançou sua própria plataforma de negociação de criptomoedas, permitindo que os usuários negociem Bitcoin e Ethereum. Em pouco menos de um mês, a plataforma adicionou mais de um milhão de clientes. O Nubank também está alocando 1% de seus fundos para Bitcoin para mostrar sua fé na criptomoeda.

READ  Espera-se que o mercado brasileiro de cuidados pessoais para animais de estimação atinja US $ 11 bilhões até 2025, à medida que a indústria mostra sua resiliência

Com seu sucesso recente, os concorrentes do Nubank estão entrando no jogo das criptomoedas. Banco Santander Central Hispano (São 1,61%)O quarto maior banco do Brasil anunciou que seguirá uma estratégia de oferecer produtos relacionados a criptomoedas para seus 53 milhões de clientes.

Em um comunicado à imprensa, o CEO do Santander, Mario Liao, disse que o banco não está buscando produtos criptográficos como uma reação aos concorrentes, mas porque reconhece que é um mercado que veio para ficar. Mais detalhes sobre os produtos de criptografia do banco podem ser divulgados em seu relatório trimestral de resultados de outubro.

A ascensão do estado digital

O caminho que governos municipais, instituições financeiras e cidadãos criam no Brasil pode servir de modelo para o resto do mundo. O Bitcoin, em particular, parece ser o favorito no país, mas abraçar todas as tecnologias associadas à criptomoeda e blockchain o torna pioneiro na economia digital.

O investimento contínuo nesta economia por meio da criação de empregos, comércio acessível e governo pró-cripto garantirá a adoção contínua das melhores moedas digitais. Se outros países e cidades seguirem o Brasil, devemos esperar que o Bitcoin se espalhe por todos os setores da economia, aumentando seu preço, um desenvolvimento que beneficiará os investidores em criptomoedas.

RJ Fulton Ele tem posições em Bitcoin e Ethereum. O Motley Fool tem posições e recomenda Bitcoin, Curve DAO Token e Ethereum. O Motley Fool recomenda usar o código do protocolo Uniswap. O Motley Fool tem uma política de divulgação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.