Pequenas e microempresas são responsáveis ​​por 69% dos empregos no Brasil – MercoPress

Pequenas e microempresas são responsáveis ​​por 69% dos empregos no Brasil

Segunda-feira, 17 de julho de 2023 – 11h05 UTC


Desio Lima explicou que médias e grandes empresas tendem a ser mais intensivas em mão de obra no longo prazo

De acordo com estudo realizado pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), as pequenas e microempresas estão por trás da criação de sete em cada dez empregos formais em todo o país, informou a Agência Brasileira de Notícias.

De janeiro a maio, o Brasil gerou um total de 865.360 empregos formais, dos quais as pequenas e microempresas responderam por 594.213, respondendo por 69% do total. Os dados são obtidos no Cadastro Geral de Trabalhadores e Desempregados (Caged), mantido pelo Ministério do Trabalho e Emprego.

Segundo o presidente do Sebrae, Décio Lima, a maioria das pequenas e microempresas tem até cinco funcionários. “No contexto de quase 22 milhões de pequenas empresas, elas desempenham um papel essencial na economia, representando cerca de 99 por cento de todas as empresas do país. Contribuem com 55 por cento do total de empregos no sector formal e com cerca de 30 por cento do PIB. [the sum of all products and services produced in the country in one year]Lima explicou à Agência Brasileira de Notícias.

O estudo classifica as empresas com até nove empregados (na agricultura, comércio e serviços) ou até 19 empregados (na indústria e mineração) como pequenas empresas. As pequenas empresas são definidas como aquelas com até 49 trabalhadores (na agricultura, comércio e serviços) ou até 99 trabalhadores (na indústria e mineração).

Só em maio, as pequenas empresas representaram 70% (108.406 de 155.270) dos novos empregos, o que representa um aumento de 2 pontos percentuais em relação aos 68% registados no mesmo mês do ano anterior.

Este crescimento na contribuição das pequenas e microempresas para a dimensão total dos empregos contrasta com o desempenho das médias e grandes empresas, uma vez que a sua participação no total dos empregos formais diminuiu de 22% em Maio de 2022 para 15% em Maio de 2023.

O presidente do Sebrae explica que os pequenos negócios desempenham um papel importante na criação e manutenção de empregos na economia. “É natural que as médias e grandes empresas invistam fortemente na modernização dos seus processos de produção para aumentar a sua competitividade. Como resultado, tendem a ser mais eficientes em termos de mão-de-obra no longo prazo. As pequenas empresas, por outro lado, são intensivas em mão-de-obra, e por esta razão tendem a ser os últimos a demitir funcionários em tempos de crise e são os primeiros a contratar durante a recuperação económica.

Ao analisar quais os sectores que mais contribuíram para a criação de empregos nas pequenas empresas de Janeiro a Maio, o sector dos serviços liderou com um aumento líquido de 339.127 empregos, seguido pela construção (123.937), indústria transformadora (64.754) e comércio (34.127). .

A pesquisa indica também que tem sido observado um saldo positivo na criação de empregos por meio de contratos formais por pequenas e microempresas em todos os 26 estados brasileiros e no Distrito Federal.

Seabree espera que as pequenas empresas continuem a desempenhar um papel crucial na criação de empregos. “Em 2023, o cenário sugere uma taxa de participação próxima de 70% das pequenas e microempresas na criação de emprego, com níveis mais elevados esperados em Outubro e Novembro. Portanto, o cenário de emprego deverá continuar influenciado pelas pequenas e microempresas.

READ  Arco anuncia fechamento de emissão de bonds no Brasil pela Companhia Brasileira de Educação e Sistemas de Ensino SA

(Fonte: Agência Brasil)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *