Painel da ONU adverte contra deter as mudanças climáticas, mas o tempo é curto

Mas o custo da inação também é grande em termos de mortes, deslocamentos e danos. Nos Estados Unidos, no ano passado, os danos causados ​​por inundações, incêndios florestais, secas e outros desastres climáticos e climáticos totalizaram cerca de US$ 145 bilhões, De acordo com a Administração Nacional Oceânica e Atmosférica. A agência disse que níveis “extremamente altos” de desastres se tornaram o “novo normal”.

“Reduzir significativamente as emissões é muito menos doloroso do que você pensa e pode ser benéfico no curto prazo”, disse Glenn Peters, do Centro Internacional de Pesquisa Climática em Oslo, Noruega, que contribuiu para o relatório.

O novo relatório examina dezenas de estratégias que cientistas e especialistas em energia propuseram para ajudar os países a fazer a transição.

Primeiro, os países precisarão limpar quase todas as usinas de energia do mundo que geram eletricidade para residências e fábricas. Isso significa confiar mais em fontes de energia como eólica, solar, nuclear, geotérmica ou hídrica. A maioria das usinas de carvão e gás natural do mundo precisará desligar ou instalar tecnologia de captura de carbono Pode prender as emissões e enterrá-las no subsolo. Esta tecnologia tem demorado a decolar devido aos seus altos custos.

O próximo passo será remodelar o transporte, a indústria e outros setores da economia global para funcionar com eletricidade limpa em vez de combustíveis fósseis. Os carros a gasolina podem ser substituídos por veículos elétricos carregados com redes de baixo carbono. Os fornos a gás nas residências podem ser substituídos por bombas de calor elétricas. Em vez de queimar carvão, as siderúrgicas podem mudar para fornos elétricos que fundem sucata.

Ao mesmo tempo, os países podem tomar medidas para reduzir a demanda geral de energia. Isso poderia implicar a expansão do transporte público, a modernização do isolamento para que as casas usem menos energia, a reciclagem de mais matérias-primas e o aumento da eficiência energética das fábricas. O relatório observa que essas políticas do lado da demanda podem ajudar a reduzir as emissões em setores-chave em até 40% a 70% até 2050.

READ  A Espanha disse a 33.000 pessoas para se trancarem dentro de casa devido aos gases tóxicos do vulcão

Mas muitas atividades econômicas não podem ser eletrificadas facilmente. As baterias ainda são muito pesadas para a maioria das aeronaves. Muitas indústrias, como cimento e vidro, requerem calor intenso e atualmente queimam carvão ou gás. Para essas emissões, governos e empresas terão que desenvolver novos combustíveis e processos industriais, disse o relatório.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.