O Vaticano informou que o Papa Francisco foi hospitalizado com uma infecção respiratória

Comente

ROMA – O papa Francisco sofreu nos últimos dias de dificuldade para respirar e está buscando tratamento para uma infecção respiratória no hospital Gemelli, em Roma, informou o Vaticano em comunicado.

O comunicado disse que ele não tinha COVID-19 e esperava passar “alguns dias” no hospital. Sua agenda foi liberada durante o fim de semana.

Francis, 86 anos, que perdeu parte de um pulmão após passar por uma cirurgia quando jovem, está passando por um check-up. O Vaticano disse que ficou “tocado” com as mensagens de apoio e orações que recebeu.

Enquanto Francisco comemora uma década desde que se tornou Papa, o que significa ter 86 anos?

Na quarta-feira, Francisco deu a ele Discurso semanal para o público geral Na Praça de São Pedro, no Vaticano. O anúncio do tratamento de Francisco ocorre menos de duas semanas antes da Páscoa, um período movimentado de celebrações e compromissos importantes para o papa.

O décimo aniversário de seu pontificado foi no início deste mês. Nos últimos 500 anos, apenas três outros papas atingiram a idade de 86 anos enquanto ocupavam o cargo.

O Papa às vezes parecia fraco. No ano passado, ele começou a usar uma cadeira de rodas depois de sentir dores persistentes no joelho. Ele também passou por uma cirurgia para remover parte do cólon esquerdo em 2021. Em julho passado, após uma viagem ao Canadá, Francisco insinuou a necessidade de desacelerar – levando a especulações de que ele poderia seguir seu antecessor, o papa Bento XVI, que em 2013 se tornou o primeiro papa. Em 600 anos para renunciar.

READ  Jantar formal no Japão: melhores momentos e convidados famosos

“Acho que na minha idade e com essa limitação, tenho que economizar [my energies up] Pouco para poder servir a igreja ou, pelo contrário, pensar na possibilidade de se afastar. Isto é o que eu digo com toda a sinceridade. “Não é um desastre. É possível mudar o Papa.”

Mas nos meses seguintes, Francisco continuou cumprindo seus deveres papais, incluindo uma viagem de seis dias no mês passado à República Democrática do Congo e ao Sudão do Sul, onde se deleitou com a energia extraordinária de grandes multidões de admiradores. “Acho que servir o Papa é ad vitam [for life]Ele disse aos jesuítas ali reunidos, A Revista Jesuíta de Cifalta relatou. “Não vejo nenhuma razão para que isso não aconteça.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *