O Havaí identifica seus três primeiros casos “hackeados” de COVID-19

12 de março de 2021, 17:51 HST

Na sexta-feira, o Departamento de Saúde do Havaí (DOH) indicou os três primeiros casos “revolucionários” do coronavírus, um termo aparentemente desfavorável.

O caso de avanço descreve um incidente no qual uma pessoa totalmente vacinada (alguém que recebeu ambas as doses) foi infectada com o vírus COVID-19 posteriormente.

“Este número não está fora do que esperávamos, com aproximadamente 165.000 pessoas no Havaí sendo totalmente vacinadas”, de acordo com um comunicado divulgado pelo Departamento de Saúde na sexta-feira.

A vacina, que tem eficácia de 95%, protege 95 em cada 100 pessoas. Isso significa que 5% ainda podem ter COVID se expostos.

O departamento continuou: “Este é outro motivo pelo qual todos devemos fazer nossa parte para reduzir o número de casos.” “Quanto menor a disseminação da COVID na comunidade, menor a chance de infectar qualquer um de nós, mesmo aqueles que foram vacinados.”

O artigo continua abaixo de M.

É importante notar que nenhum dos indivíduos que experimentou um ‘avanço’ COVID ficou gravemente doente e nenhum deles foi conhecido por transmitir COVID a outra pessoa. Estudos de todas as três vacinas atualmente aprovadas que circulam nos Estados Unidos indicam que elas são quase 100% eficazes em impedir que casos positivos causem hospitalização e / ou morte, em outras palavras, casos “graves” de infecção por COVID-19.

O artigo continua abaixo de M.

“As vacinas previnem doenças perigosas, uma vez que são projetadas”, disse o governo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *