O documentário “Entre Quadros” destaca um século de animação brasileira

Quando pensamos em países conhecidos pela sua animação, o Brasil provavelmente não está entre os primeiros que vêm à mente. No entanto, o país tem quase um século de história de produção de animação e, embora a maior parte da animação que fez historicamente não tenha sido vista fora das suas fronteiras, houve contribuições notáveis ​​para esta forma de arte ao longo da história do país. Com o rápido crescimento da indústria de animação do Brasil – que ocupa o sétimo lugar entre os países que visitam o Cartoon Brew com mais frequência – este é um ótimo momento para explorar a herança de animação do país.

Um novo documentário intitulado Entre Quadros: A Arte da Animação Brasileira (Trailer em português acima) está previsto para estrear na América do Norte em Festival Internacional de Cinema de Palm Beach Neste domingo, 6 de abril. Dirigido por Eduardo Calvete O que produz Canal Brasilo documento estabelece a versão de 1917 do curta-metragem do cartunista Álvaro Marínes O César Marca o nascimento da animação brasileira e acompanha o progresso da animação brasileira no cinema, na televisão e na publicidade durante a era moderna. O documentário foi exibido em diversos festivais de cinema brasileiros com o título original Luz, Anima, AsaoGanhou os prêmios de Melhor Filme e Melhor Diretor 7º Festival Curta Cabo Frio de Cinema.

Junto com entrevistas com talentos da animação brasileira de toda a diáspora, como o diretor da Blue Sky, Carlos Saldanha (Rio, Era do Gelo 2), Entre pneus Será o resultado de um projeto especial de animação em homenagem ao inovador curta-metragem de Marins, hoje perdido. Oito animadores recriaram uma cena do filme O César Usando seus métodos pessoais. A homenagem é mostrada no trailer abaixo (em português) e conta com a participação dos animadores Fábio YamajiRosana Urbis (Pequena Garota dos Fósforos, Lilo e Stitch, Mulan) e Marcos Magalhães, seu filme Doutor, meu filho é animador Foi apresentado no Cartoon Brew na semana passada.

READ  A espinha dorsal brasileira constrói pontes com a África

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *