Novos detalhes de fechamento – notícias de Portugal

Por TPN / Lusa, na notícia · 15-02-2021 12:26:00 · 0 comentários

O governo aprovou uma série de medidas que regem o último estado de emergência, entre 15 de fevereiro e 1º de março, incluindo paralisações continuadas e ensino a distância, e agora permitindo, com restrições, a venda de livros

A seguir estão as principais medidas para a continuidade do estado de emergência:

Restrições de viagens e controles de fronteira

As viagens do continente ao exterior com qualquer tipo de transporte são limitadas, com controle em todas as fronteiras terrestres.

De acordo com o Ministério da Administração Interna, desde as 00h00 de 15 de fevereiro, a circulação entre Portugal e Espanha ainda se limita a pontos de passagem autorizados específicos para o transporte de mercadorias e trabalhadores na fronteira com documentação adequada e de emergência. Veículos

Os dois países concordaram em acrescentar dois pontos do Corredor Autorizado (PPA) à lista já em vigor, existente em Melgaço e Montalegre, e alguns PPAs também passaram por modificações no cronograma para atender aos interesses de quem os utiliza.

Sete dos pontos de passagem autorizados funcionam 24 horas por dia durante a semana: Valença, Villa Verde da Raya, Quintanella, Villar Formoso, Caia, Villa Verde de Vicalo e Castro Marim.

O PPA de Marvão funciona nos dias úteis das 6h00 às 20h00, os Pontos Autorizados em Monção, Melgaço e Montalegre funcionam nos dias úteis das 6h00 às 9h00 e das 17h00 às 20h00 pm

Desde 31 de janeiro, a previsão também é que os voos sejam suspensos e os passageiros fechados na chegada, quando a situação epidemiológica o justificar.

Seguro e ensino à distância

Nesse estado de emergência, o dever de ficar em casa continua em vigor, e o primeiro-ministro Antonio Costa disse que a medida deve continuar ao longo de março.

READ  Elba Ramalho exige o fim do aluguel em concerto com 700 pessoas - 30/12/2020

Uma das principais medidas é a continuação do ensino à distância para todos os níveis de ensino, sendo que o ensino presencial não deve regressar antes das férias da Páscoa no início de abril.

Para o ensino secundário, foi criado um canal de televisão privado, em cabo e na televisão digital terrestre, com conteúdos do programa “Study at Home”, até ao final do ano letivo.

Livros e material escolar são permitidos

Os estabelecimentos que permanecerem abertos, como supermercados e hipermercados, poderão vender livros e material escolar, mas devem manter a proibição de venda de outros bens não essenciais.

Esta foi uma das alterações impostas pelo decreto do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que dizia que o Primeiro-Ministro, António Costa, tinha “proibido” a venda de livros e material escolar nestas instituições.

Livrarias independentes solicitaram permissão para reabrir suas portas e apelaram ao governo para que pare de “abuso de posição dominante” por parte de grandes editoras e comerciantes.

Limites legais de ruído

A proposta do Presidente da República culminou na sua inadmissibilidade nas medidas do estado de emergência.

O decreto presidencial que renovou o estado de emergência até 1º de março havia permitido limites de ruído em determinados horários e em edifícios residenciais para não incomodar quem trabalhava remotamente.

O Gabinete terminou por não aprovar nada neste sentido.

Restrições aos serviços de telecomunicações

As operadoras de telecomunicações podem, a partir de 15 de fevereiro, restringir ou bloquear o acesso a serviços não essenciais na Internet de banda larga, como videogames e plataformas de mídia digital, se necessário, para proteger serviços de estado crítico.

Plataformas digitais, como Netflix e Youtube, bem como serviços de videogame, podem ser proibidos para garantir a continuidade dos serviços de comunicação eletrônica para hospitais ou forças de segurança, medida já permitida em decisões de emergência anteriores.

READ  O governo Bolsonaro substituirá os principais membros do conselho do Banco do Brasil

Todas as restrições em vigor são mantidas

Todas as outras restrições impostas a Portugal Continental nos últimos 15 dias mantêm-se em vigor, abrangendo as restrições ao funcionamento do comércio e do sector alimentar não essencial, bem como a proibição de circulação entre municípios aos fins-de-semana e o dever geral de permanência. a página inicial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *