Iberdrola inicia construção do complexo fotovoltaico de Montechoro em Portugal | Atalayar

A Iberdrola continua avançando no desenvolvimento de projetos de energia renovável em Portugal. A empresa iniciou os trabalhos de instalação do complexo fotovoltaico Montchoro 1 e 2, com capacidades de 11,57 e 25 megawatts respetivamente, na cidade de Albufeira, sul de Portugal. Com capacidade total instalada de 37 megawatts, essas usinas evitarão a emissão de 42 mil toneladas de dióxido de carbono na atmosfera anualmente.

Ao todo, será equipado com mais de 64.500 painéis diédricos que, devido à presença de duas superfícies fotossensíveis, permite maiores produções sem aumentar o número de painéis. Desta forma, poderão gerar 20.000 MWh de energia verde local por ano para abastecer cerca de 15.000 habitações, o equivalente a metade da população da cidade de Albufeira. O projeto, que contempla um investimento superior a 28 milhões de euros, vai criar até 200 postos de trabalho, a maioria dos quais ocupados por trabalhadores locais. A expectativa é que esteja operacional ainda este ano.

Portugal, um país importante para a Iberdrola

A Iberdrola planeja investir 3 bilhões de euros em energia eólica e solar em Portugal nos próximos anos. Entre as iniciativas que vai levar a cabo neste país está a construção da central fotovoltaica de Fernando Pessoa que, com uma capacidade de 1.200 megawatts de potência, será o maior projeto fotovoltaico da Europa e o quinto maior do mundo. A usina, localizada no município de Santiago de Casem, deverá entrar em operação em 2025 e fornecerá energia limpa, barata e de geração local para cobrir as necessidades anuais de 430.000 residências.

nos próximos meses, A empresa prevê iniciar a construção da central solar do Carregado (62 MW) em Alenquer (Lisboa) e Estoi (83 MW) no Algarve, Que também incluirá armazenamento de bateria e começará a ser transmitido em 2024.

Estas instalações vão juntar-se aos projetos fotovoltaicos Alcochete (46 MW), Conde (13,5 MW) e Algeruz II (27 MW), localizados em Setúbal (região de Lisboa), cuja construção ficará concluída no final de 2022. Estas centrais – juntamente com o Carregado e Estoi – pertencem aos leilões realizados por Portugal em 2019 e 2020. A Iberdrola adquiriu um total de oito projetos fotovoltaicos com uma capacidade total de 270 MW, o maior vencedor em termos de lotes no leilão de 2019.

READ  Banco Santander (Brasil) SA (NYSE:BSBR) recebe classificação média de "Venda Forte" dos analistas

Além disso, O grupo pretende construir um parque eólico ligado à enorme central hidroeléctrica reversível que a empresa inaugurou no Alto Tâmega, norte de Portugal. Esta instalação transformará o complexo em uma fábrica híbrida de gel. A gigabateria do Tâmega, a maior iniciativa de energia limpa da história do país, conta com três barragens e três centrais (Gouvães, Daivões e Alto Tâmega) com uma capacidade conjunta de 1.158 MW e será capaz de armazenar a energia consumida por onze milhões de pessoas. dia em suas casas.

A Iberdrola já explora 92 MW da energia eólica do país, distribuídos por três parques eólicos: Catvica, no concelho de Torres Vedras, com uma capacidade de 18 MW; Alto do Monção, em Mortágua e Tondela, com 32 MW; e Serra do Alvão, em Ribeira de Pena, com 42 MW. Juntas, essas estações produzem 200 GWh por ano, o equivalente à eletricidade consumida por 35 mil residências.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *