Fortalecendo conexões através do cinema – Global Times

Ilustração: Chen Xia/Global Times

Comemorando o 50º aniversário do estabelecimento das relações diplomáticas entre a China e o Brasil em 2024, o 14º Festival Internacional de Cinema de Pequim deu um passo importante na promoção do intercâmbio cultural e da cooperação entre os dois países.

Ao convidar o Brasil como convidado de honra e organizar uma série de eventos cooperativos com a Embaixada do Brasil na China, o festival de cinema visa não apenas aprofundar a parceria estratégica abrangente entre a China e o Brasil, mas também aumentar a sua influência internacional.

Durante o festival em andamento, a Semana do Cinema Brasileiro exibiu quatro filmes brasileiros notáveis, a saber: Marte é um, Fotos de fantasmas, Segunda mãeE Uma história de amor e raivaPara o público chinês, oferece um vislumbre da rica cena cinematográfica do Brasil.

Enquanto isso, o renomado animador brasileiro Carlos Saldanha atuou como jurado internacional no prestigiado Prêmio Tiantan.

Cassius Rosa, vice-ministro da Cultura do Brasil, disse ao Global Times em entrevista individual que os quatro filmes brasileiros mostram uma rica diversidade de gêneros e que ele espera que os espectadores chineses possam apreciá-los enquanto aprendem sobre o Brasil.

Ele enfatizou os cinemas como uma forma poderosa de promover a compreensão mútua e o intercâmbio cultural entre os países, e disse que o Brasil também está promovendo ativamente os filmes chineses em várias cidades.

Ele observou que os filmes de ação chineses de kung fu, juntamente com os gêneros históricos e cômicos, são muito populares entre o público brasileiro.

Esta troca mútua de experiências cinematográficas reflete o interesse e apreço mútuos entre os dois países.

Além da exibição de filmes brasileiros na China, o evento de intercâmbio cultural se estende ao Brasil, com a abertura do Festival de Cinema Chinês no Rio de Janeiro, no dia 22 de março, e do Festival Anual de Cinema da China em São Paulo, com uma variedade de filmes chineses.

READ  Seu avião caiu na Amazônia. Então veio a parte difícil.

Tais iniciativas demonstram a crescente cooperação na indústria cinematográfica, apoiada por acordos bilaterais e parcerias entre a China e o Brasil.

Nos últimos anos, com a forte promoção dos dois governos, a cooperação cinematográfica e televisiva entre a China e o Brasil se aprofundou.

Em setembro de 2017, os dois países assinaram o primeiro acordo conjunto de produção cinematográfica. Durante a visita do presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva à China em abril de 2023, os dois países assinaram um acordo de cooperação na produção televisiva.

Os filmes produzidos por empresas brasileiras e chinesas gozarão de tratamento nacional em ambos os países, beneficiarão dos mecanismos de financiamento público existentes e serão considerados produtos nacionais nos seus mercados.

Na sexta-feira, num fórum de intercâmbio entre cineastas chineses e estrangeiros, representantes do Festival Internacional de Cinema do Rio de Janeiro e do Festival Internacional de Cinema do Rio de Janeiro assinaram um memorando de cooperação.

Concordaram em estabelecer mecanismos para incentivar visitas mútuas, conduzir discussões e pesquisas de campo, estabelecer mecanismos para recomendar filmes entre si e melhorar a cooperação e o intercâmbio na indústria cinematográfica entre os dois países.

No domingo, Rosa, acompanhada por representantes da delegação da comunidade cinematográfica brasileira, visitou a base estatal de produção do China Film Group, no distrito de Huairou, em Pequim.

Durante a visita, eles visitaram o departamento de pós-produção de áudio e vídeo, o estúdio virtual de LED e os locais de filmagem ao ar livre, e obtiveram uma compreensão detalhada das instalações e da tecnologia no centro da indústria de produção cinematográfica da China.

Durante as discussões, Rosa apresentou a situação recente da indústria cinematográfica no Brasil e questionou sobre as atuais exigências para importação de filmes estrangeiros para a China.

READ  Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses no Brasil: Desconhecido e Outro Mundo

Embora expressando grandes expectativas de cooperação, anunciou a decisão de convidar uma delegação de cineastas chineses ao Brasil para intercâmbios aprofundados num futuro próximo.

Ele também expressou sua esperança de que através de exibições de filmes, importações e exportações de filmes, coproduções e outros meios, os dois países possam melhorar os intercâmbios culturais e a aprendizagem mútua, e continuar a amizade entre a China e o Brasil.

“Ao aprofundar continuamente os intercâmbios culturais entre os povos dos dois países, podemos melhorar o entendimento mútuo e usar isso como uma força motriz para expandir os intercâmbios económicos e comerciais em múltiplos campos”, disse Rosa.

O ano também marca o primeiro aniversário da Iniciativa de Civilização Global proposta pela China.

Rosa disse ao Global Times que além do cinema, os dois países também têm um grande potencial de cooperação em outras áreas culturais, incluindo literatura, dança e circo.

Como o cinema serve como uma ponte vital de comunicação entre as nações, o intercâmbio de culturas cinematográficas entre a China e o Brasil abre caminho para o aprendizado mútuo e o desenvolvimento da indústria. Ao aproveitar o poder do cinema, ambos os países podem fortalecer os laços culturais, fomentar o respeito mútuo e promover amizades duradouras.

O autor é correspondente do Global Times. [email protected]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *