Festival de Cinema de Março acontece de 26 a 29 de outubro e destrói produção nacional

Festival de Cinema de Março acontece de 26 a 29 de outubro e destrói produção nacional

O Festival de Cinema O Mar retorna à Cidade de Deus nos últimos 26-29 anos. Duas exposições maioritariamente decoradas estão no Museu do Mar Vermelho, bem como uma sessão especial comemorativa dos 130 anos no Farol da Barra, na Javanha Nazareth Ideas Factory.

A edição de 2023 do festival continua a refletir o mar no ecrã, com narrativas, campos e geografias mais diversas, sem perder o espetáculo nem o mar, “flutuando” entre a ficção e o documentário, a curta e a longa-metragem, com especial enfoque na produção . Nacional.

O festival começa nos anos 26 e 27 do Autopro, como uma programação dirigida às escolas públicas, com uma seleção de recortes animados – como “Curtas de Mar” – sempre tendo Mar como pano de fundo da Terra.

Na noite de 27 de Outubro, a noite terá início a partir das 21h30, iniciando-se geralmente as sessões plenárias, com “A Atmosfera do Povo”, uma breve declaração de Marco Schiavone sobre uma renovada vida argelina, seguida de “A Felicidade de o futuro”. , documentário de Ana Azevedo, que remonta a três nações marítimas interligadas – Portugal, Brasil e Cabo Verde – numa busca por histórias desenterradas pela costa sul.

Na manhã seguinte, dia 28 de outubro, pelas 10h30, o Marr Environmental Film Festival anima-se, com a exibição de “Sonic Sea”, documentário de Michelle Dougherty e Daniel Hennerfeld que alerta para a tragédia dos oceanos. – Nova rodada com amigos, tubing e golfe. Depois do filme, inicia-se uma conversa sobre “a influência daquele oceano” com Catarina Ira, investigadora da Universidade de Aveiro, e Marina Palacio, autora e fotógrafa de “O Tratado do Silêncio”.

READ  Superbet patrocina Lollapalooza Brasil 2024 com palco de 100 metros quadrados próximo ao palco

Até às 15h00, dirijo-me à sala de audição do museu na sequência da edição de 2023 do Prémio Mário Ruivo – sempre trabalhando para desvendar a importância do oceano para a vida no planeta Terra. Esta concessão alberga Mário Ruivo, figura da descoberta científica, política, diplomática e cultural, e pioneiro da defesa dos oceanos, e o Museu Marítimo de Ilhafo alberga também a exposição “Mar Oceano”, hoje em ruínas. : Legado de Mário Ruivo”, que será uma visita guiada após a venda.

Sábado à noite antes das 21h30 com dois voos curtos. “As Gaivotas Cortam o Céu” é um conto de fadas de Mariana Bartolo e Guillermo García López, sobre dois polacos que os ajudam mutuamente num clima de lama e não num porto de pesca. “Carapau de Espinho”, de Andre Rozera, é também uma curta-metragem, mas um documentário, sobre a resistência à modernização no parque piscatório de Espinho.

No topo da noite está “O Som dos Heróis do Mar”, um documentário de Pedro Magano, que mostra o “making of” de um projecto aventureiro de criação de um novo grupo musical e uma brilhante tradução de um filme português “Heróis”. . do Mar” (foto), concretiza um complexo projeto comunitário desenvolvido na Câmara Municipal de Ílhavo em 2022.

O Mar Film Festival 2023 arranca às 29h de Otébro, Domingo, pelas 17h30, com o regresso ao grande ecrã de “Os Faroleiros”, um clássico do cinema português, desaparecido ao longo de algumas décadas , e que se inicia em 2023 com uma nova vaga de Sound, composta sob influência do compositor Daniel Moreira (Porto, 1983) e sua interpretação pelo prestigiado grupo de cordas britânico The Arditti Quartet. Este é o único filme não exibido no Museu Marítimo de Ílhavo, mas é semelhante à Fábrica das Ideias da Gafanha da Nazaré. A exposição “Os Faroleiros” acontece no contexto dos 130 anos do Farole da Barra.

READ  Taylor Swift se encontra com familiares de fãs que morreram antes do término da turnê Eras

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *