Ele explicou o plano do governo para reduzir as hipotecas

A afirmação foi feita pelo Ministro das Finanças, após a reunião de Conselho de Ministros, que se concentrou na aprovação de medidas destinadas a mitigar os efeitos da crise na habitação.

Quem pode se beneficiar?

– Todas as dotações contratadas até 15 de março de 2023 com prazo remanescente igual ou superior a cinco anos;

– Mutuários de crédito pessoal e permanente à habitação com taxa de juro variável ou taxa mista em período de taxa de juro variável;

– Contratos celebrados no âmbito do processo de transferência de saldo, independentemente da data da sua celebração.

Como será aplicado?

Durante dois anos, as famílias poderão pedir ao banco que proponha uma prestação fixa inferior à que pagam atualmente. Esta redução é conseguida garantindo que a taxa de juro durante esse período não exceda 70% da taxa Eurobor a seis meses.

Após esses dois anos, nos dois anos seguintes, o benefício ganha seu valor “normal” (com o índice totalmente revertido naquele momento). Se as taxas de juros caírem ao longo dos dois anos, o mutuário poderá retornar a um contrato regular. Se aumentar novamente, o mutuário pode voltar a esse modelo.

Quando será pago o valor diferido?

O pagamento terá início quatro anos após o término do período de estabilização do benefício. O pagamento será repartido pelo prazo remanescente do empréstimo e a diferença poderá ser amortizada antecipadamente, sem quaisquer comissões ou taxas.

A adesão altera o empréstimo?

Não, as condições do empréstimo (spreads, prazos) permanecem inalteradas, sendo o valor da redução diferido. Por outras palavras, o valor actual do empréstimo permanece inalterado e a cláusula de salvaguarda garante que o montante devido nunca aumenta.

READ  Banco do Brasil elevou sua perspectiva para o ano inteiro após ganho de lucro no segundo trimestre

Quando as famílias podem se inscrever?

Os pedidos de revisão de acórdão podem ser apresentados a partir de 2 de novembro (ou após a data de publicação do diploma se esta ocorrer posteriormente) até ao final do primeiro trimestre de 2024.

As instituições bancárias têm 15 dias após o recebimento da solicitação para apresentar os termos ao cliente, e o cliente tem 30 dias após o envio dos termos para responder.

Além de reduzir os prémios, o governo também anunciou novas regras de bonificação de juros, permitindo que mais famílias beneficiem da medida. Segundo estimativas, cerca de 200 mil famílias poderão beneficiar da bonificação de juros, que passará a ser calculada sobre o valor do índice superior a 3% e já não tem em conta a faixa de rendimentos. Além disso, o limite anual varia entre 720€ e 800€.

Em conjunto, as duas medidas poderão significar uma poupança superior a 150€ por mês, dependendo do empréstimo às famílias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *