Coronavirus: Volkswagen fecha fábricas no Brasil à medida que casos aumentam | Notícias DW

A gigante automobilística alemã Volkswagen disse na sexta-feira que suspenderá a produção em suas quatro fábricas no Brasil devido a um aumento nos casos de coronavírus no país sul-americano.

A empresa com sede em Wolfsburg disse que suspenderia as fábricas a partir de 24 de março por um período de 12 dias “para proteger a saúde de seus funcionários e de suas famílias”.

“Apenas as atividades essenciais serão preservadas”, disse ela em nota. “O pessoal administrativo trabalhará remotamente.”

A fábrica da Volkswagen em São Bernardo do Campo, 25 km ao sul de São Paulo, será fechada nesta quarta-feira

A decisão foi tomada após negociações com o sindicato dos metalúrgicos do ABC, que pressiona empresas da região a fecharem suas linhas de produção.

O Brasil é o maior produtor de automóveis da América do Sul e uma das principais bases da Volkswagen por produzir modelos especiais para o mercado regional.

A empresa interrompeu as linhas de produção no ano passado com o início da epidemia.

A maioria dos casos ocorre em um dia, e o segundo mais mortes

Mais de 290.000 pessoas morreram de Covid-19 no Brasil, mais do que qualquer outro país, exceto os Estados Unidos.

O número de mortos diários está entre os piores do mundo. Na sexta-feira, o Ministério da Saúde anunciou 90.570 novos casos, o maior número em um único dia no país, e 2.815 óbitos, o segundo pior número até agora.

O presidente Jair Bolsonaro se recusou a impor paralisações econômicas e disse na sexta-feira que poderia ser “um terreno fértil para a ditadura” porque empurraria mais pessoas para a pobreza.

Brasil | Coronavirus | Jair Bolsonaro

O presidente Bolsonaro é um crítico vocal dos bloqueios

“Nunca vou adotar o fechamento no Brasil”, disse, acrescentando que medidas para limitar a transmissão do vírus podem levar a atos de “desobediência civil”.

READ  No Brasil, uma réplica Cyberpunk 2077 pode custar até 25% de sua renda mensal

O ex-líder do país, Lula da Silva, criticou as políticas do Bolsonaro na COVID-19 enquanto considerava uma possível candidatura à presidência no ano que vem, depois que uma condenação por corrupção for anulada.

Especialistas alertam sobre desastre na saúde

O sistema de saúde do país está em crise, com hospitais superlotados.

Pesquisadores da Fucruz, principal instituto de saúde do Brasil, descreveram a situação como um “desastre”.

Uma pesquisa publicada em 16 de março afirmou que leitos de terapia intensiva nos 27 estados do país estão quase lotados.

Fucruz disse que o Brasil está passando por “o maior colapso sanitário e hospitalar da história”. “A situação é muito crítica.”

jf / msh (AFP, Reuters)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *