Brasil participa de feira agropecuária no Marrocos

da redação
redaçã[email protected]

São Paulo – Café, pimenta-do-reino, leguminosas, açaí, frango e tilápia serão alguns dos produtos brasileiros expostos na 15ª edição da Exposição Internacional de Agricultura (SIAM), de 2 a 7 de maio, na cidade de Meknes, na região centro-norte do país, 150 quilômetros a leste da capital, Rabat.

Onze empresas brasileiras estarão apresentando seus produtos no evento. Serão Nelly Cafés, Agroexport e Biospicy (café, gado vivo e pimenta-do-reino); cipreste (legumes); Sabor das Índias (geleia de pimenta, cupuaçu e açaí, molhos, pimentas e pimentões); Vale do Mar (aves e tilápia); Exportação Global (Pão de Queijo, Pão de Alho, Bebidas e Refeições Congeladas); Acanastra e Aprocan (queijo Canastra e café); BRF (Proteína de Aves Processada); Yolo Akai (Akao); FertMinas (fertilizantes); Babovie (mangueiras de plástico); e Jacto (máquinas agrícolas).

Camelos em exibição no SIAM 2019

O pavilhão é organizado pelo Ministério da Agricultura e Pecuária do Brasil em parceria com a Embaixada do Brasil em Rabat e tem o apoio da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil). A Câmara de Comércio Árabe Brasileira (ABCC) será representada pela diretora de Relações Corporativas, Fernanda Baltazar.

A última edição do evento foi em 2019. Este será o retorno pós-pandemia do SIAM. – Esta é uma proposta a que pertence o Ministério da Agricultura. O Brasil já estava envolvido há alguns anos. A ABCC também esteve envolvida em outras edições, entre elas Com Atitude Corporativa. É uma feira empolgante, disse Balthazar, parecida com a Agrishow aqui no Brasil. A Agrishow é uma feira agropecuária que acontece em Ribeirão Preto, interior de São Paulo, de 1º a 5 de maio deste ano.

Para o gerente, o Marrocos é um mercado potencial para o Brasil e o comércio bilateral está em alta. • Focam mais na exportação de fertilizantes para o Brasil, mas há amplo espaço para diversificar essa pauta comercial com máquinas agrícolas e alimentos. Ela disse que o Brasil está trabalhando nessas parcerias e o setor agrícola marroquino está se desenvolvendo.

área de criação de animais

Balthazar também indicou que o próspero setor de turismo no Marrocos oferece a oportunidade de penetrar no mercado de turismo local e global. “Além disso, o Marrocos é conhecido como um hub logístico para a África, com companhias aéreas e acordos de livre comércio com países árabes e africanos”, acrescentou.

READ  A Índia está testando viajantes do Brasil, África do Sul e Reino Unido após descobrir novas cepas de coronavírus

A participação da ABCC na feira dará apoio institucional às empresas interessadas no Marrocos. “Este é o primeiro evento que a ABCC participa no Marrocos após a pandemia”, disse Baltazar. Além do apoio às empresas, a entidade terá encontros institucionais, com reuniões no porto de Tânger e na Federação das Indústrias local.

a oferta

A última edição da feira SIAM, em 2019, reuniu 850 mil visitantes, 1.365 expositores de 60 países, 24 delegações oficiais, 331 cooperativas e associações e 595 jornalistas. Foram 1.890 animais em exposição. Trinta e cinco conferências foram realizadas nos seis dias de evento.

SIAM é dividido em dez seções. Um deles é dedicado às doze regiões de Marrocos. Há também seções para organizações e patrocinadores. internacional; produtos; suprimentos agrícolas; natureza e ambiente; produtos terroir; Educação; Máquinas agrícolas e conferências.

Dados de mercado

Marrocos é a quinta maior economia da África e tem a segunda maior taxa de industrialização do continente. Em termos de agricultura, o país produz principalmente frutas cítricas, cereais, sardinhas, azeitonas e vegetais. Os principais setores da indústria são têxteis, vestuário, produtos químicos, fertilizantes fosfatados e automóveis. Os principais parceiros comerciais do país árabe são a União Européia. Principalmente França e Espanha. Estados Unidos e países árabes.

A última edição recebeu 850 mil pessoas

O volume de comércio bilateral entre Brasil e Marrocos atingiu US$ 3,13 bilhões em 2022, um recorde histórico. Este é o segundo maior fluxo comercial do Brasil para o continente africano, atrás apenas do Egito, com valor de US$ 3,44 bilhões, superando Argélia, Nigéria e África do Sul.

As exportações brasileiras para o Marrocos registraram recorde histórico de US$ 1,067 bilhão em receita e 2,68 milhões de toneladas em volume em 2022. A agricultura respondeu por 90% das exportações brasileiras ao país árabe em 2021, com 63% de cana em bruto, 17% de milho e 10% de trigo mole.

READ  O real brasileiro subiu mais de 2% e o peso colombiano caiu ao seu nível mais baixo em 21 meses

fatos rápidos:

Exposição Internacional de Agricultura em Marrocos (SIAM) 2023
2 a 7 de maio
Bassin de Al-Aqdal: Suhraij Al-Sawani
Ville Enciennes – Meknès
Ver site

Traduzido por Elsio Brasileiro

Comunicado de imprensa/SIAM

Comunicado de imprensa/SIAM

Comunicado de imprensa/SIAM

Comunicado de imprensa/SIAM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *