Brasil e Japão assinam 38 acordos durante visita do primeiro-ministro Fumio Kishida a Brasília – Planalto

O Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, recebeu o primeiro-ministro do Japão, Fumio Kishida, em visita oficial ao Brasil na sexta-feira, 3 de maio de 2024, no Palácio do Planalto. Os dois líderes envolveram-se em discussões sobre investimento e cooperação no comércio, transição energética, agricultura sustentável e recuperação de terras. No final da reunião bilateral, foram assinados 38 memorandos de cooperação.

“O Brasil oferece inúmeras oportunidades para parcerias comerciais japonesas e brasileiras. Costumo enfatizar que, para nós, brasileiros, o bom comércio não é apenas vender e não comprar nada. O bom comércio é uma via de mão dupla. comprar”, anunciou o presidente brasileiro em comunicado à imprensa após a reunião bilateral.

A visita do Primeiro Ministro tem como objetivo fortalecer a parceria estratégica global entre Brasil e Japão e ampliar o comércio entre os dois países. E acrescentou: “Entre o Brasil e o Japão, nosso volume de comércio foi de aproximadamente 18 bilhões de dólares, mas hoje diminuiu para 11 bilhões de dólares. Esta é uma diminuição significativa”, enfatizou Lula.

Em 2023, o Japão era o segundo maior parceiro comercial do Brasil na Ásia e o nono maior parceiro comercial do mundo, com o comércio atingindo US$ 11,7 bilhões e um superávit brasileiro de US$ 1,491 bilhão. A delegação empresarial japonesa que acompanha a visita é composta por 46 empresários dos principais setores da economia japonesa.

“Eu queria que os empresários japoneses que visitassem o Brasil, ao considerarem qualquer investimento, olhassem para um mapa-múndi e dissessem: o Brasil é o lugar onde eu investiria porque é onde os japoneses se estabeleceram, onde se envolveram, onde moram e onde nós somos”, concluiu Lula. “Sua população é de aproximadamente 3 milhões”.

Acordos Durante a visita, foram assinados 38 memorandos de cooperação, sendo 36 no setor público e dois entre empresas brasileiras e japonesas. O primeiro-ministro japonês afirmou que “estes memorandos servirão de incentivo para novos progressos nas relações económicas bilaterais”.

Na esfera governamental, a cooperação na agricultura e na restauração de terras em áreas degradadas é uma área de foco proeminente, com particular ênfase na segurança alimentar e na mitigação dos efeitos do aquecimento global. Este é o objetivo da iniciativa Parceria Verde Japão-Brasil. Para o Japão, o Brasil representa um parceiro estratégico no campo da segurança alimentar da população.

READ  TotalEnergies: Brasil: Início da produção a partir da primeira fase de desenvolvimento do gigante campo de Mero

O acordo foi assinado entre o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), o Ministério do Desenvolvimento Agropecuário e da Agricultura Familiar (MDA), a Fundação Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) e a Agência Japonesa de Cooperação Internacional (JICA).

Com esta iniciativa, o Japão tornou-se o primeiro país a contribuir para o Programa Nacional de Conversão de Pastagens Degradadas em Sistemas Sustentáveis ​​de Produção Agrícola e Florestal (PNCPD). Este programa visa restaurar 40 milhões de hectares (cerca de 98,8 milhões de acres) nos próximos dez anos, em linha com a estratégia brasileira de combinar produtividade agrícola e sustentabilidade ambiental.

O Gabinete de Segurança Institucional da Presidência (GSI) e o Ministério dos Negócios Estrangeiros do Japão também cooperarão no domínio da segurança cibernética. Os dois países manifestaram interesse em parcerias no domínio da inteligência artificial. Enquanto isso, o Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços do Brasil e o Ministério da Economia, Comércio e Indústria do Japão cooperarão no setor industrial.

A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil) e a Organização de Comércio Externo do Japão (JETRO) assinaram um memorando de entendimento para fortalecer parcerias e desenvolvimento de negócios para promover investimentos, especialmente em áreas relacionadas à inovação, entre outros objetivos.

No comunicado divulgado após a reunião bilateral, Fumio Kishida destacou o grande potencial para fortalecer as relações bilaterais e a cooperação com o MERCOSOL. Ele ressaltou o compromisso do Japão em fortalecer as relações com o bloco, com o objetivo futuro de avançar para um acordo comercial.


Lula e primeiro-ministro japonês assinam leis e falam à imprensa | Transmissão: régua de canal

Assuntos Internacionais Lula e Kishida também discutiram a geopolítica global e a cooperação em fóruns multilaterais para a paz, a democracia e a reforma da governança internacional, incluindo o G20 – grupo de países atualmente presidido pelo Brasil – e as Nações Unidas.

“O governo japonês afirmou seu apoio às prioridades do Brasil como presidência do G20 e seu compromisso de cooperar para o sucesso da cúpula do G20 no Rio trabalhará lado a lado com o Brasil para preservar e fortalecer uma ordem internacional livre e aberta, baseada. sobre o Estado de Direito.

READ  Petrobras aumentou preços dos combustíveis após alta global "surpreendente"

Para Kishida, o fortalecimento da ONU é crucial dada a difícil situação internacional. Ele sublinhou: “No que diz respeito à reforma do Conselho de Segurança, confirmamos que os países do G4 cooperarão para implementar medidas concretas em preparação para a futura cimeira agendada para setembro próximo, por ocasião do octogésimo aniversário da fundação das Nações Unidas. Próximo ano.” O Japão e o Brasil, juntamente com a Alemanha e a Índia, fazem parte do Grupo dos Quatro, que apela à reforma do Conselho de Segurança da ONU e procura ser membro permanente do conselho.

O líder japonês também classificou a conservação ambiental e as mudanças climáticas como questões urgentes e manifestou interesse em ampliar a parceria com o Brasil para enfrentar esses desafios. “Apreciamos a liderança do presidente Lula e saudamos o fato de o Brasil sediar a 30ª sessão da Conferência das Partes no próximo ano. Há um grande potencial na cooperação bilateral para enfrentar os desafios globais e fortalecer a cooperação no que diz respeito à conservação ambiental, às mudanças climáticas e ao desenvolvimento sustentável, ” Kishida enfatizou.

Parceria e amizade — Fumio Kishida expressou sua satisfação por realizar sua primeira visita oficial ao Brasil durante seus dez anos como Primeiro Ministro do Japão. “Gostaria de agradecer ao presidente Lula e ao povo brasileiro pela calorosa recepção e hospitalidade que recebi durante minha visita. O Japão e o Brasil têm uma longa história de amizade que remonta ao século XIX, com sucessos notáveis ​​como o desenvolvimento agrícola do país. Cerrado na década de 1970 e cooperação no campo da televisão digital terrestre na primeira década do século XXI.

Em 2023, Brasil e Japão estabeleceram isenção recíproca de visto para viagens de curta duração para turistas de ambos os países. “Acho que este é um avanço excepcional nas relações Brasil-Japão”, disse Lula, enfatizando o impacto positivo do acordo no turismo. O Presidente brasileiro indicou ainda que aceitou o convite do Primeiro-Ministro para visitar o Japão em 2025, por ocasião da Osaka Expo. Isto marca o 130º aniversário das relações diplomáticas entre os dois países.

READ  Brasileiro da Silva forma equipe mista de transformação econômica

Relações diplomáticas O Brasil possui a maior população de origem japonesa fora do Japão, estimada em mais de 2 milhões de pessoas, enquanto o Japão abriga a quinta maior comunidade brasileira no exterior, com aproximadamente 211 mil cidadãos. Os dois países mantêm uma parceria estratégica e global que completará 10 anos em agosto. O principal mecanismo político entre os dois países é o Diálogo do Chanceler, que foi estabelecido em 2014, e estão programadas reuniões anuais para um futuro próximo. A última edição do diálogo foi realizada em Brasília em 2023.

As relações diplomáticas entre o Brasil e o Japão tiveram um aumento na atividade, com uma série de visitas de alto nível na agenda. Em 2023, Lula reuniu-se com o primeiro-ministro Kishida durante a cimeira do G7 em Hiroshima, enquanto o ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, reuniu-se com o seu homólogo Yoshimasa Hayashi. Em 2024, o chanceler Mauro Vieira se reuniu com a atual chanceler, Yuko Kamikawa, durante reunião de assessores do G20 no Rio de Janeiro.

A visita continua No sábado, 4 de maio, o primeiro-ministro japonês deverá visitar São Paulo. Kishida está programada para visitar o Pavilhão Japonês, almoçar com representantes da comunidade nipo-brasileira e participar do Fórum Empresarial Brasil-Japão, evento que reúne líderes do setor privado dos dois países. O fórum é organizado por organizações comerciais, com apoio da ApexBrasil e da Organização de Comércio Externo do Japão (JETRO).

O Japão é o oitavo maior investidor estrangeiro no Brasil com base no controle de patentes, com um volume de investimento de aproximadamente US$ 28,5 bilhões. Os investimentos japoneses são diversos e se estendem a setores como automóveis, materiais elétricos e produção de aço.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *