Brasil acelera operação de resgate de bilhões de dólares para companhias aéreas em dificuldades

(Bloomberg) — O governo brasileiro está trabalhando em um plano de contingência para ajudar a aliviar as pressões financeiras sobre as companhias aéreas e lidar com o alto custo dos litígios de consumo e a falta de concorrência, de acordo com uma pessoa familiarizada com o assunto.

Mais lidos da Bloomberg

O governo propõe usar fundos públicos como garantia para obter empréstimos para empresas de transportes do banco de desenvolvimento do país, conhecido como BNDES, disse a fonte. Espera-se que seja emitido como medida temporária nas próximas semanas, permitindo que as alterações entrem em vigor imediatamente.

A fonte disse que o tamanho da ajuda ainda está em discussão, mas não ultrapassará 5 bilhões de reais (US$ 1 bilhão). Embora isto esteja longe de ser o que as empresas necessitam, irá ajudá-las a continuar a operar normalmente durante a reestruturação da dívida, de acordo com a pessoa que pediu anonimato para discutir informações privadas.

O governo estuda há meses um plano de resgate para o setor. O plano ganhou mais urgência depois que a Gol Linhas Aéreas Inteligentes SA entrou com pedido de proteção contra falência, Capítulo 11, em 25 de janeiro.

Um representante do Ministério das Finanças não quis comentar.

As companhias aéreas brasileiras têm enfrentado dificuldades desde o início da epidemia, e os problemas aumentaram em meio ao aumento dos preços dos combustíveis, atrasos na produção de novas aeronaves e flutuações cambiais.

Leia mais: Quarta falência mostra pandemia assombrando companhias aéreas na América Latina

Embora a procura tenha recuperado mesmo quando as empresas aumentaram os preços – os preços no Brasil aumentaram quase 50% no ano passado – as transportadoras também enfrentaram problemas com os custos de lidar com ações judiciais frequentes dos consumidores. Isso impediu a entrada de novas companhias aéreas no mercado, disse essa pessoa.

READ  Bilionários do Vale do Silício estão comprando 52.000 acres de terras agrícolas na Califórnia para construir uma nova cidade do zero

Mais lidos da Bloomberg Businessweek

©2024 Bloomberg L.P.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *