Bolsonaro testemunha em escândalo envolvendo presente de joalheria saudita

BRASÍLIA (Reuters) – O ex-presidente Jair Bolsonaro compareceu à sede da Polícia Federal nesta quarta-feira para depor em uma investigação sobre joias e presentes dados ao então presidente e sua esposa pelo rei da Arábia Saudita em 2021.

A polícia fechou a rua do lado de fora do prédio.

Uma das coleções de joias dadas à então primeira-dama Michelle Bolsonaro no valor de R$ 16,5 milhões (US$ 3,26 milhões) foi confiscada por funcionários da alfândega na mochila de um assessor do governo quando ele voltava da Arábia Saudita.

Bolsonaro devolveu mais dois pacotes de presentes depois que o Tribunal de Contas da União ordenou que ele o fizesse.

O ex-presidente disse que não fez nada de errado ao receber os presentes, mas o incidente com as joias manchou sua reputação como líder anticorrupção. Seus críticos disseram que os presentes pertenciam à coleção presidencial e o acusaram de tentar sonegar impostos alfandegários ao contrabandeá-los para o Brasil.

A mídia local informou que vários funcionários do governo Bolsonaro tentaram, sem sucesso, recuperar as principais joias encontradas na alfândega do Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo.

A defesa de Bolsonaro disse em nota nesta terça-feira que a entrega do presente mostra seu compromisso em cumprir as decisões dos tribunais de contas e sua disposição de respeitar a lei.

Outro presente dos Emirados Árabes Unidos – um fuzil e uma pistola – também foi entregue à Polícia Federal.

Bolsonaro voltou ao Brasil na semana passada, após quase três meses em exílio auto-imposto nos Estados Unidos, após sua derrota em sua candidatura à reeleição no ano passado.

READ  Portugal altera regime de vistos para estrangeiros à procura de emprego

(US$ 1 = 5,0566 riais)

Reportagem de Ricardo Brito; Editado por Aurora Ellis

Nossos padrões: Princípios de confiança da Thomson Reuters.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *