A mineradora brasileira Vale concordou em vender seus ativos de manganês e minério de ferro para a J&F

Um carro-drone limpa resíduos de mineração de minério de ferro para ajudar a fechar as barragens da Vale SA B3 e B4 devido ao risco iminente de colapso na mina Mar Azul em Nova Lima, Minas Gerais, Brasil, 23 de julho de 2021. REUTERS/Washington Alves/Arquivo foto

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

São Paulo (Reuters) – A brasileira Vale Corporation (VALE3.SA) disse que concordou em vender suas minas de manganês e minério de ferro na região central do Brasil, com um valor de projeto de cerca de US$ 1,2 bilhão, para a J&F Investimentos Holdings Inc. Depósito de ações na quarta-feira.

Além das minas de manganês e minério de ferro, a gigante da mineração também concordou em vender ativos logísticos na área para a J&F, controladora do frigorífico JBS SA (JBSS3.SA) e fabricante de celulose Eldorado Brasil.

A Vale disse na semana passada que estava em negociações avançadas para vender as empresas que compõem o sistema Centro-Oeste, pois busca focar no negócio principal e nas oportunidades de crescimento, mas não revelou um potencial comprador. Consulte Mais informação

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

O sistema Centro-Oeste, que inclui Mineração Corumbaense, Mineração Mato Grosso, International Iron Company e Transbarge Navegação, produziu 2,7 milhões de toneladas de minério de ferro e 200.000 toneladas de minério de manganês em 2021.

Isso representou US$ 110 milhões em lucro ajustado antes de juros, impostos, depreciação e amortização (EBITDA), disse a mineradora.

O negócio ainda requer aprovação dos reguladores brasileiros.

O jornal Valor Econômico noticiou pela primeira vez o negócio na noite de terça-feira.

READ  Em meio ao caos do Coronavirus no Brasil, o Socialismo Maricá abre um caminho diferente | Notícias de negócios e economia

(1 dólar = 4,6740 riais)

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

(Cobertura) Por Tatiana Bautzer e Gabriel Araujo Edição por Mark Potter e Barbara Lewis

Nossos critérios: Princípios de Confiança da Thomson Reuters.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.