A grande maioria dos professores está em greve

Em declarações à imprensa num comício que decorre hoje no Rossio, em Lisboa, Mário Nogueira faz um balanço do primeiro dia da greve promovida pelo Sindicato Nacional dos Professores (à prova de fãs) E outras sete organizações sindicais pedem um aumento de filiação nos próximos dias.

Centenas de professores de escolas da zona de Lisboa reuniram-se por volta das 11h00 no Rossio.

A greve dos professores das províncias, convocada por uma plataforma de oito organizações sindicais, começou hoje e vai durar 18 dias.

Depois do primeiro dia em Lisboa, as paragens continuam em Aveiro, Beja, Braga, Bragança, Castelo Branco, Coimbra, Évora, Faro, Guarda, Leiria, Portalegre, Santarém, Setúbal, Viana do Castelo, Vila Real, Viseu, e terminam no Porto no dia 8 de fevereiro

Esta greve ocorre simultaneamente com outras duas greves: uma greve por tempo indeterminado, convocada pelo Sindicato de Todos os Professores (Pare), que teve início no dia 9 de dezembro e seguirá, pelo menos, até o final do mês, e uma greve parcial na primeira metade das aulas convocada pelo Sindicato Independente dos Professores e da Educação (solto), que deve durar até fevereiro.

READ  Kissinger apoia transições e trabalho para transformar o Brasil na União Europeia na Guerra Fria | mundo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *