Zelensky demite o comandante das forças conjuntas ucranianas

No domingo, o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky emitiu um decreto demitindo o comandante da operação de forças conjuntas do exército, que está participando da contra-ofensiva em andamento na região oriental de Donbass do país.

Zelensky anunciou a demissão de Eduard Moskaliev em um decreto de uma linha sem qualquer explicação, de acordo com Reuters. Moskalyov foi nomeado para este cargo em março passado.

O JFO começou como uma força de resistência em 2014, depois que a Rússia tomou a Crimeia e partes de Donbass, e tem estado fortemente envolvido nos combates desde a invasão total de Moscou um ano antes.

A demissão de Moskalyov é a mais recente de uma série de mudanças nas forças armadas da Ucrânia em meio a um escândalo de corrupção que quase derrubou o ministro da Defesa, Oleksiy Reznikov. Reznikov permanece no cargo e, no início deste mês, nomeou três novos deputados. Não está claro se a demissão de Moskalyov estava ligada a implicações de corrupção.

A guerra na Ucrânia na sexta-feira ultrapassou a marca de um ano, quando as forças russas lançaram uma nova ofensiva no início deste mês. Zelensky declarou a luta de um ano como o “Ano Invencível” em um discurso na semana passada.

Zelensky disse na semana passada que a Ucrânia continuaria a defender a cidade oriental de Bakhmut, na província de Donetsk, que sofreu meses de ataques brutais da Rússia, mas “não a qualquer custo”.

O presidente Biden visitou a Ucrânia na semana passada, antes de uma viagem à Polônia para fazer comentários sobre o conflito de um ano entre os dois países. Em seu discurso, ele reiterou o compromisso dos Estados Unidos e seus aliados com a eventual vitória da Ucrânia.

READ  O presidente da Câmara, Mike Johnson, disse ao jornal que o projeto de ajuda à Ucrânia ocupa o segundo lugar em financiamento para o governo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *