Uma onda de partidas deixa assentos em tribunais federais para Biden preencher

Um número crescente de juízes federais anunciou sua saída nas semanas que se seguiram Presidente bidenOs democratas, Joe Biden, dizem que a defesa contra o impeachment de Trump é “inútil” O tratado de defesa entre os Estados Unidos e Israel tem benefícios – e ameaça a Casa Branca: Biden não vai perder muito tempo assistindo ao julgamento de Trump. Ele foi empossado, dando ao novo governo a oportunidade de começar a fazer o seu caminho de volta Presidente TrumpDonald TrumpDominion porta-voz: Mike Lindell, CEO da MyPillow ‘implora para processar’ oficiais da DC que defenderam o Capitol e a família Sicknick homenageada no Super Bowl nos Estados Unidos ingressarão no Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas: Informe maisSeu sucesso em encher o judiciário com juízes conservadores.

Existem atualmente 57 vagas nos Circuitos Federais e Tribunais de Recursos, e outras 20 vagas ficarão vagas nos próximos meses. Ao menos 25 dessas vagas de emprego foram anunciadas após a posse de Biden em 20 de janeiro.

O grupo que partiu inclui Emmett Sullivan, que foi nomeado pelo ex-presidente Clinton para o Tribunal Distrital de Columbia em 1994. Sullivan presidiu vários casos importantes durante a era Trump, incluindo o julgamento de Michael Flynn sob a acusação de ser um ex-Segurança Nacional Conselheiro da Casa Branca. Ele mentiu para o FBI Sobre suas conversas com um diplomata russo durante o período de transição de Trump.

Outro juiz nomeado por Clinton, Robert Katzman, do influente Tribunal de Apelações do Segundo Circuito, anunciou em 21 de janeiro que deixaria sua cadeira. Katzman também esteve envolvido em várias questões relacionadas a Trump. No ano passado, ele fez parte de um painel de três juízes que apoiou o gabinete do procurador distrital de Manhattan em uma ação que Trump abriu por bloquear a citação do procurador-geral em suas declarações de impostos.

READ  Partes da Austrália declaram desastre natural durante enchentes "uma vez a cada 100 anos"

Katzman e Sullivan ganhariam prestígio, permitindo-lhes permanecer como juízes com uma carga de processos mais leve, deixando assentos para Biden preencher o processo de confirmação do Senado.

“Eu acho que ele realmente, imediatamente, tem uma oportunidade fantástica de melhorar a causa da justiça e que ele tem uma tremenda oportunidade de deixar sua marca ao nomear um grupo de juristas proeminentes que são demograficamente e profissionalmente diversificados”, disse Daniel Goldberg , diretor jurídico do grupo progressista The Alliance for Justice. Neste país. “

Mas, apesar da onda de novas cadeiras vagas, Biden enfrentará uma batalha difícil para acompanhar o sucesso de Trump nos tribunais, em parte porque ele herda muito menos vagas do que seu antecessor e deve navegar pelo delicado equilíbrio de 50-50 do Senado.

Não é incomum que juízes federais planejem sua saída à medida que mudam os governos, a fim de garantir que seus substitutos sejam escolhidos por um presidente que escolherá alguém ideologicamente semelhante. Mas Russell Wheeler, um pesquisador do Brookings Institution que estuda judiciário, disse acreditar que o número de vagas abertas nos últimos meses do governo Trump e nos primeiros dias de Biden foi relativamente baixo.

“Fiquei surpreso com o número de juízes, incluindo nomeados republicanos, que eram menos graduados do que nos anos anteriores”, disse Wheeler. “No amanhecer do governo Obama e no crepúsculo do governo Bush, geralmente vemos as pessoas começarem a sair correndo quando fica bem claro qual será o resultado presidencial ou, no caso dos republicanos, tentar resolver a situação na esperança de que o presidente republicano possa nomear um sucessor. “

de acordo com Dados WheelerTrump tem sido um dos presidentes mais prolíficos da era moderna quando se trata de garantias judiciais, preenchendo rapidamente cadeiras federais com juízes jovens conservadores.

READ  A má situação na Coreia do Norte leva a uma "saída em massa" de diplomatas Coréia do Norte

Em quatro anos, Trump conseguiu nomear 226 juízes para o tribunal federal, incluindo três juízes no Supremo Tribunal, 54 juízes no Tribunal de Recursos e 174 juízes no Tribunal Distrital, de acordo com Pew Research Center.

Wheeler descobriu que Trump fica atrás do ex-presidente Carter apenas em termos do número total de nomeações judiciais nos primeiros quatro anos de qualquer presidente. O presidente Reagan, que nomeou quatro juízes da Suprema Corte em oito anos, é o único presidente que deixou uma pegada ainda maior na Suprema Corte.

Wheeler acredita que será difícil para Biden igualar o sucesso de Trump na formação do judiciário. Primeiro, ele argumenta, Biden herda menos vagas de trabalho notáveis.

Quando Trump assumiu o cargo em janeiro de 2017, havia 17 cadeiras vazias nos poderosos tribunais de apelação do país, que ficam abaixo da Suprema Corte. Existem agora sete vagas nos Tribunais Circunscritos atuais e futuros que Biden terá a oportunidade de preencher, e isso não inclui a vaga no Circuito de DC que seria aberta se Merrick GarlandMerrick Brian Garland O Comitê Judiciário de Biden deve fazer justiça à política. Cotton está tentando pressionar os democratas a expandir a Suprema Corte. The Hill Morning Report – submetido pelo Facebook – Cheney mantém uma posição de liderança; Democratas vão punir mais Greene A posição do promotor foi confirmada.

Wheeler também observou que Trump e os republicanos do Senado fizeram das afirmações judiciais uma de suas maiores prioridades, que Biden e seus colegas na câmara alta podem não ser capazes de replicar devido à ambiciosa agenda legislativa do novo governo.

“Não espero ver uma revolução nos tribunais em quatro anos e, claro, se os republicanos voltarem ao Senado em 2022, isso só vai piorar”, disse Wheeler.

READ  O submarino japonês Soryu colidiu com um navio mercante enquanto subia para o Oceano Pacífico

Mas os progressistas que pressionam o novo governo a se concentrar no judiciário argumentam que o destino dos planos de política de Biden dependerá em grande parte dos juízes que ouvirem as contestações legais que ele certamente seguirá.

“O progresso de muitos casos de políticas não seria significativo se não houvesse juízes no Tribunal Federal que dessem o efeito apropriado à legislação importante”, disse Goldberg. “Qualquer que seja a legislação aprovada, seja legislação de direitos civis ou legislação que proteja os trabalhadores, precisamos de juízes federais, na retaguarda, para garantir que essas leis sejam devidamente cumpridas e aplicadas conforme pretendido pelo Congresso.”

Para esse fim, disse Goldberg, os democratas do Senado parecem estar levando o judiciário mais a sério do que nos últimos anos.

“É claro que eles estão prontos para priorizar essa questão como nunca antes”, disse ele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *