Um casal foi preso sob suspeita de participação em um assalto a banco em Crici.ma

Dois outros são suspeitos de estarem envolvidos em Assalto a agência bancária em Crissima, Santa Catarina, quinta-feira (3), em Campinas, São Paulo. As informações do G1.

Segundo a polícia, o casal é suspeito de participar de operações de furto logístico em Criciúma nesta terça-feira (1). Eles foram encaminhados ao Departamento de Investigação Criminal (Deic) de São Paulo.

No apartamento de Sheila, 36, e Eduardo, 41, a polícia encontrou munição. A polícia veio procurá-los porque um dos carros usados ​​no ataque em Chrysiaoma estava cheio de seu cartão de crédito.

O carro ficou dois dias na garagem do apartamento antes de seguir para Santa Catarina. O irmão de Sheila, Diego, que estava reabastecendo e levou o carro para Criciúma, está fugindo. A polícia encontrou munição para rifles e explosivos em seu carro. O pai de Diego e Sheila registrou queixa na polícia de São Paulo e ele foi solto.

Segundo a Polícia Militar, Sheila disse ter sabido da participação de seu irmão Diego no ataque a Crisiaoma. Seu companheiro, Eduardo, disse ao primeiro-ministro que seu irmão estava envolvido no roubo de um caixa eletrônico e admitiu que sabia que o carro seria transportado para o sul do país.

Agora, ao todo, mais de 11 suspeitos foram presos por participação no crime em Criciúma.

Veja também

+ Jovem morre após cair 50 metros durante o treino de Slackline Highline

+ Saiba mais sobre Phloeodes Diabolicus “o besouro indestrutível”
+ O truque de espremer limão está enlouquecendo nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida de graça e ir para a prisão
+ MasterChef: Fogaça compara prato a comida de cachorro
+ Área digital azul alterada em SP no dia 16; Veja como fica
Um estudo revela a maneira mais saudável de cozinhar arroz
Arrotar muito pode ser um problema de saúde?
O tubarão foi pego em MA com os restos mortais do filhote desaparecidos no estômago
+ Cinema, Sexo e a Cidade
+ Descubra uma oficina de cobre de 6.500 anos no deserto de Israel

READ  No Brasil, Covid-19 é ofuscada por crise política

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *