Smashing American Tourism – Portugal News

Não havia tantos turistas americanos a visitar Portugal como em julho. No sétimo mês do ano, 183.215 hóspedes com passaporte americano entraram no país, batendo o recorde de junho (181.869 hóspedes).

“Os americanos estão descobrindo Portugal. Até poucos anos atrás, era um país desconhecido, mas Portugal está agora no mapa da América do Norte. Foi identificado como um país seguro, com boa qualidade de vida e também para viver e trabalhar em”, disse Graça Didier, Secretária-Geral da Câmara Americana de Comércio em Portugal (AmCham Portugal), para a Organização de Cooperação Económica.

A tendência de crescimento turístico dos EUA em Portugal “já acontecia antes da Covid”. Em 2019, foram 1.202.247 convidados dos Estados Unidos, o que quase superou o mercado brasileiro (1.281.675). Em 2022, espera-se que os EUA ainda ultrapassem o Brasil como o primeiro mercado turístico não europeu: em julho, havia 766.335 americanos visitando Portugal – contra 495.880 do Brasil.

Os Estados Unidos também se tornarão o quinto país mais visitado em Portugal, depois do Reino Unido, Espanha, Alemanha e França. Nos primeiros sete meses do ano, o Reino Unido recebeu o maior número de hóspedes (1.196.174), seguido de Espanha (1.086.137), França (825.003) e Alemanha (794.772).

O número recorde de turistas americanos em Portugal surge numa altura em que o dólar e o euro eram praticamente iguais, ajudando os norte-americanos a gastar mais dinheiro em Portugal. Mas esse fator não é um dos principais motivos para tantos norte-americanos visitarem o país.

O secretário-geral afirma que “os americanos adoram o que vêem. Portugal tem um património e cultura, boas condições climatéricas e hospitalidade, e os portugueses costumam falar inglês. Há também muitos locais que permanecem inexplorados, como a costa alentejana e as Douro.” AmCham Portugal.

READ  QPI Brasil Petróleo Ltda. (QPI Brasil Petróleo)

Portugal também atrai a América do Norte pelo turismo de cruzeiros e voos diretos, oferecidos pela TAP, United e Delta. Acrescentou que a distância física de Portugal à guerra na Ucrânia também atrai turistas americanos.

Graça Didier acredita que o mercado norte-americano “não vai parar de crescer” e espera mais recordes turísticos nos próximos meses.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.