Portugal espera receber a semifinal da Copa do Mundo

“Para a final é necessário um estádio com capacidade mínima de 80 mil lugares. Portugal não tem um estádio com essas características e não fará investimentos para ampliação dos estádios, e portanto não será candidato a sediar a final do Mundial ”, disse Antonio Larango, coordenador do Comitê de Futebol.

Dado que o Estádio da Luz, o Estádio José Alvalade, ambos em Lisboa, e o Estádio do Dragão, no Porto – os três estádios portugueses que integram a candidatura – não têm a capacidade referida para acolher o jogo decisivo, há expectativas quanto a esta possibilidade . Portugal vai receber um dos jogos das meias-finais.

“Sem a final, Portugal tem grandes expectativas de chegar às meias-finais. Entre agora e 2030, temos tempo suficiente para acertar todos estes detalhes, mas Portugal tem justificadas as expectativas de receber as meias-finais”, disse Antonio Laranjo.

Desta forma, “não estão a ser considerados grandes investimentos” em Portugal, considerando que os três estádios portugueses “demonstraram estar nas melhores condições para acolher qualquer evento”, enquanto em Espanha e Marrocos, sim, investimentos para renovação de estádios e infraestruturas estão planejados.

O estádio Santiago Bernabéu, em Madrid, com capacidade para cerca de 84 mil espectadores, é um dos estádios “que a comissão de candidatura irá recomendar para acolher a final”, considerando que, segundo Antonio Laranjo, “é um estádio fantástico”. Ele tem a habilidade conhecida como “partida final”.

“Vamos disputar 101 jogos em Portugal, Espanha e Marrocos. Definir os jogos e o tipo de jogos ainda não é a nossa preocupação. Estamos a fazer um trabalho mais técnico nesta fase. Esta tarefa não recai apenas sobre os nossos ombros, pelo contrário, estamos trabalhar com a FIFA”, observou o antigo candidato à presidência da Liga Portuguesa de Futebol. Para os profissionais: “No processo de nomeação daremos uma visão geral do que pensamos.”

Até que o projeto de nomeação seja entregue à FIFA, em julho, a comissão responsável pelo processo “fará uma avaliação muito boa dos custos envolvidos na nomeação” e “dentro de um mês e meio já haverá dados concretos, um estudo muito econômico.” “Aprofundando-se sobre os investimentos em andamento e o retorno que obterão na Copa do Mundo de 2030.”

A comissão de candidatura já visitou os locais previstos para o Mundial de 2030, todos os quais deverão cumprir “muitos requisitos da FIFA que devem ser cumpridos, não só desportivos, mas também financeiros, operacionais, de garantia e de risco”.

“Portugal, Marrocos e Espanha são três países com infraestruturas muito boas, sejam elas desportivas, hospitalares, de acessibilidade ou de mobilidade. Esta comissão colocou-se no lugar dos adeptos e fizemos viagens a Espanha e Marrocos em comboio de alta velocidade, atravessando os dois continentes de ferry e metro, toda a infraestrutura.” Que estará ao serviço dos adeptos.”

A FIFA anunciou em outubro do ano passado que Portugal, Espanha e Marrocos organizariam o Mundial de 2030.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *