Pesquisador da Fiucruz disse que o Brasil não deve se vacinar antes de fevereiro

A pesquisadora Margareth Dalcomo, da Fiucruz, alertou para a falta de coordenação do governo Jair Bolsonaro no manejo da crise do Coronavírus e disse que os moradores não devem ser vacinados antes de fevereiro. “A impressão que temos é que antes de fevereiro ninguém deve ser vacinado no Brasil”, disse.


Assine a newsletter 247

247 – A pesquisadora Margaret Dalcomo, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiucruz), alertou sobre a falta de coordenação do governo Jair Bolsonaro no manejo da crise do vírus Corona e afirmou que a população não deve ser vacinada antes de fevereiro. Segundo o cientista, há seis meses, quando começaram os estudos da Fase III, “era necessária uma coordenação mais harmoniosa e centralizada do governo federal, mas com o consentimento e parceria da comunidade acadêmica”.

“Isso não aconteceu de forma realista. A impressão que temos é que antes de fevereiro ninguém deveria ser vacinado no Brasil”, disse Margaret. CNN Brasil.

O pesquisador destacou que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) “só pode registrar um produto registrado em seu país de origem”, e nenhum dos dois produtores avançados no Brasil, a saber, Sinovac e AstraZeneca, foram registrados. Então não pode ser usado para vacinar brasileiros. ”

O Brasil ocupa o terceiro lugar no ranking mundial de casos de coronavírus (7,4 milhões), atrás da Índia (10,1 milhões) e dos Estados Unidos (19,2 milhões). O governo brasileiro também registra o segundo maior número de óbitos (190 mil) – o primeiro nos Estados Unidos (338 mil).

O conhecimento liberta. saber mais

Você chegou até aqui, Muito obrigado por avaliar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, 247.Brasil está dentro TV 247 Eles se financiam por meio de sua própria comunidade de leitores e espectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o Brasil 247 de várias maneiras. Veja como em brasil247.com/apoio

READ  Atualização 2 - Lucro do Santander Brasil surpreende em meio à segunda pandemia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *