O impacto “extraordinário” do turismo no PIB português

“Se não fosse o crescimento contínuo do turismo, um dos poucos setores em Portugal cujas políticas não estão sujeitas a grandes mudanças apesar das mudanças de governo, a economia portuguesa provavelmente estaria em recessão.”

Esta ideia foi partilhada pelo ex-vice-primeiro-ministro Paulo Portas, que foi um dos oradores participantes no 16.º Congresso Nacional da Associação dos Transportes Pesados ​​de Passageiros (ARP), que aconteceu em Braga no passado fim de semana e foi noticiado Publicação.

Falando perante cerca de 200 associados da ARP, alguns dos quais ligados ao transporte turístico, Paulo Portas partilhou algumas reflexões sobre as tendências geoeconómicas e geopolíticas que poderão ter impacto no sector do transporte de passageiros, no turismo e na economia portuguesa em geral, destacando a importância de o turismo como uma das principais razões do crescimento da A economia nacional aumentou 2% este ano, superando a economia europeia. “O turismo está no bom caminho para contribuir com 20% do PIB português. É absolutamente extraordinário”, comentou.

Paulo Portas acredita que os turistas estrangeiros que visitam Portugal devem ser bem tratados. “Não somos ricos e começar a gerar riqueza não seria uma coisa muito inteligente a fazer”, afirmou, acrescentando que a tendência de crescimento do sector deverá continuar: “O turismo continua a aumentar e não há indicação em contrário, a menos que haja. É uma crise global.”

READ  Vacas e agricultores em risco nos Açores

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *