O Fundo Monetário Internacional eleva sua previsão de crescimento econômico para a América Latina em 2023

a Fundo Monetário Internacional Ele revisou para cima suas estimativas para o desempenho econômico da América Latina e do Caribe em 2023, graças a uma melhora nas perspectivas para as duas maiores economias da região, Brasil e México.

“Há uma melhora temporária nas perspectivas econômicas para a região, inclusive para o Brasil, mas fatores domésticos e internacionais tendem a desacelerar a percepção de recuperação ao longo do tempo”, disse Luciano Rostagno, estrategista-chefe para América Latina da Banco Mizuho do Brasilele disse à BNamericas.

Segundo Rostagno, o processo de reabertura da economia chinesa após o fim da política zero COVID no país asiático favorecerá as exportações latino-americanas, enquanto política fiscal expansionista adotado pelo governo brasileiro também deve alimentar o crescimento do PIB na maior economia da região.

O Fundo Monetário Internacional espera que o produto interno bruto da América Latina cresça 1,8% este ano, ante 1,7% esperado em outubro. Apesar do leve aumento, o crescimento da economia da região seguirá bem abaixo da expansão esperada de 3,9% em 2022.

“A revisão da previsão reflete atualizações de 0,2 ponto percentual para o Brasil e 0,5 ponto percentual para o México devido à resiliência inesperada da demanda doméstica, crescimento acima do esperado nas principais economias parceiras comerciais e, no Brasil, crescimento fiscal maior do que o esperado apoio”, disse o FMI em seu relatório trimestral. Perspectivas Econômicas Mundiais Relatório.

A economia brasileira agora deve crescer 1,8% este ano, ante 3,1% em 2022, enquanto a do México deve crescer 1,7% este ano, ante 3,1% em 2022.

Para 2024, o Fundo Monetário Internacional vê a região como um todo crescendo um pouco mais rápido, com o PIB crescendo 2,1%, apesar de ter reduzido a previsão anterior.

READ  Cinco anos após o desastre de Brumadinho, investidores devem responsabilizar a Vale

Ela acrescentou: “Espera-se que o crescimento na região suba para 2,1% em 2024, apesar de uma revisão para baixo de 0,3 pontos percentuais, refletindo condições financeiras mais rígidas, preços mais baixos para commodities exportadas e revisões para baixo no crescimento dos parceiros comerciais”.

A economia brasileira deve crescer 1,5% em 2024, ante 1,9% previsto anteriormente.

“A intenção do governo brasileiro de aumentar os gastos tenderá a gerar pressões inflacionárias persistentes, o que obrigará o Banco Central a manter Alta taxa de juros disse Rostagno.

Para o México, o Fundo Monetário Internacional espera que o PIB cresça 1,6% em 2024, em comparação com sua previsão anterior de 1,8%.

Economia internacional

De acordo com o Fundo Monetário Internacional, o crescimento global cairá de 3,4% em 2022 para 2,9% em 2023, antes de subir para 3,1% em 2024.

A previsão para 2023 é 0,2 ponto percentual acima do projetado no relatório de outubro do FMI, mas abaixo da média histórica de 3,8% observada em 2000 e 2019.

“Altas taxas antiinflacionárias do banco central e a guerra da Rússia na Ucrânia continuam pesando sobre a atividade econômica. A rápida disseminação do COVID-19 na China diminuiu o crescimento em 2022, mas a recente reabertura abriu caminho para uma recuperação esperada.”

A taxa de inflação global deverá cair de 8,8% em 2022 para 6,6% em 2023 e 4,3% em 2024, ainda bem acima dos níveis pré-pandêmicos de cerca de 3,5% entre 2017 e 2019.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *