Meio-dia, que clama “ajuda divina”, avança para a final do MasterChef Brasil

São Paulo (CNS) – Uma freira brasileira que compareceu à final de um programa de culinária na TV disse que recebeu “ajuda divina” e ficou orando o tempo todo enquanto cozinhava.

Ela disse que a “ajuda divina” a ajudou a perceber que o camarão que ela deveria cozinhar não foi perturbado.

“Se eu as tivesse deixado da forma como me foram dadas, não teria vencido”, disse a irmã Lauren Caroline Tinti, membro das Irmãs de Nossa Senhora da Ressurreição. Estrogonofe de Camarão e Tiramisu preparados no episódio MasterChef Brasil. Irmã Tinti agora está programada para competir na competição final da série de 2020, no final de dezembro.

“Muitas pessoas mencionaram como eu estava calma durante todo o episódio, dizendo-lhes que era porque eu estava orando para que nosso Senhor me ajudasse a superar isso. Isso me deu confiança”, disse a irmã Tinti ao New Catholic Service.

A irmã Tinti disse que aprendeu cedo a cozinhar com membros de sua família.

“Minha mãe, minha tia e minha avó sempre cozinhavam, então eu aprendia com elas, meu pai também tinha interesse em preparar comida.

Ela observou que suas habilidades culinárias melhoraram enquanto vivia na casa dos Missionários da Ordem em Minas Gerais.

“Tínhamos uma padaria administrada por irmãs, então aprendi a fazer doces e pães”, acrescentou.

Ao consultar suas redes sociais, a irmã Tinti se deparou com um convite para participantes do MasterChef Brasil e decidiu se inscrever.

“Eu precisava de permissão”, disse ela, rindo. “No começo, a mãe principal não estava muito ansiosa para deixar o mosteiro para ir à TV, mas as irmãs aqui a convenceram.”

Questionada sobre sua motivação para participar do concurso, Irmã Tinti disse que a apresentação lhe deu a oportunidade de falar sobre os projetos sociais que as Irmãs realizam com idosos e crianças, e encorajar os jovens a ver a vida religiosa como uma opção.

READ  O Brasil hospeda relutantemente a Copa América que o Brasil ninguém quer

“Após o show, entramos em contato com muitas pessoas comuns para perguntar como podem ajudar nossos projetos, e alguns jovens querem saber mais sobre a vida religiosa em geral”, disse ela.

Mas não foram apenas pessoas comuns que contataram a irmã Tinti após o desafio da culinária: “Recebi ligações de muitos monges, incluindo dois bispos, me parabenizando por minha participação”.

Quando a irmã Tinti perguntou qual era sua comida favorita para preparar, ela rapidamente disse berinjela.

“É versátil”, disse ela, “você pode fritar, assar e grelhar.”

Mas quem faz suas refeições diz que ela se destaca em doces e sobremesas.

“Sempre que houver uma celebração, deixe a irmã Lauren assar o bolo”, disse ela com uma risada.

A irmã Tinti diz que não sabe o que os organizadores vão pedir que ela cozinhe para as finais, mas ela está certa de duas coisas: ela vai mais uma vez buscar a ajuda divina e vai orar enquanto ela cozinha.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *