Madrid para Lisboa de comboio?

“Os trabalhos na nova ligação continuam e é importante que todos os dirigentes políticos e políticos que falam da questão ferroviária saibam o que realmente se passa”, disse Pedro Nuno Santos em Madrid, após uma reunião com o secretário-geral dos Caminhos de Ferro. Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE) e o primeiro-ministro espanhol Pedro Sanchez.

O líder do Partido Socialista defendeu o avanço dos novos projetos ferroviários em Portugal, com os governos socialistas de António Costa, “após décadas de abandono”, e a garantia de ligações transfronteiriças, apesar da linha de alta velocidade entre Lisboa e Vigo ser considerada prioritária.

Pedro Santos sublinhou que “está a ser feito um investimento muito importante do lado espanhol” para ligar o caminho-de-ferro de alta velocidade entre Madrid e Badajoz, bem como do lado português, com o objectivo de ligar Évora e a fronteira com Badajoz num velocidade média de 250 quilômetros por hora.

O líder do Partido Socialista referiu que os contactos com a Galiza são prioritários, via norte de Portugal, porque a “procura esperada” é dez vezes superior e porque a relação entre a Galiza e o norte de Portugal é “muito próxima” no contexto económico e social. O que também é importante para Portugal.

“No entanto, não supera a ligação Lisboa-Madrid atualmente em curso”, frisou.

Entre os temas discutidos entre Pedro Sánchez e Pedro Nuno Santos esteve a guerra contra a extrema-direita e a clarificação de posições na União Europeia, bem como dossiês bilaterais, como a gestão fluvial e a conectividade ferroviária.

Sobre a questão da gestão da água, com as zonas fronteiriças tanto de Espanha como de Portugal a enfrentarem a seca, o líder do Partido Socialista afirmou que não há neste momento nenhuma ação para rever o Acordo de Albufeira, que regula a gestão dos rios partilhados pelos dois países, no entanto, pretende levar a questão “para a linha da frente do debate”. “Europeu”.

READ  Renato Aragão diz que desenvolveu novos projetos em isolamento

Depois de Madrid, no dia 31 de janeiro, o secretário-geral do Partido Socialista participará numa série de reuniões em Bruxelas com responsáveis ​​do Parlamento Europeu e da Comissão Europeia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *