Incêndio deflagrou no armazém do Instituto Nacional de Cinema no Brasil

BRASÍLIA, Brasil (AP) – Um depósito do governo que armazena filmes antigos, documentos e projetores da indústria cinematográfica brasileira pegou fogo na noite de quinta-feira em São Paulo.

O corpo de bombeiros disse que 15 carros de bombeiros e 50 bombeiros estiveram no local tentando evitar que as chamas se alastrassem para uma área maior do prédio.

O galpão pertence ao Instituto Nacional do Cinema, a Cinemateca, e abriga o maior acervo de filmes da América do Sul, alguns feitos de nitrato de celulose, material altamente inflamável. Os filmes no depósito exibiam cópias em vez dos originais, e a extensão da perda não ficou imediatamente clara.

No ano passado, uma enchente no mesmo depósito danificou parte do acervo. Em 2016, a sede da Cinemateca em outra área da cidade também sofreu um incêndio.

Em uma ação movida no ano passado, os promotores alertaram para o risco de incêndio no galpão da Cinemateca, acusando o governo federal de negligenciar a manutenção do prédio. A ação também dizia que havia atrasos no pagamento de contas de serviços públicos e salários do instituto.

Em abril, funcionários da Cinemateca escreveram uma carta aberta denunciando o abandono do estabelecimento e pedindo sua reabertura após oito meses fechado.

Eduardo Moretin, professor de história do audiovisual na Universidade de São Paulo, observava o trabalho dos bombeiros do lado de fora do prédio. “O que vemos aqui é parte de um absoluto descaso com tudo o que diz respeito à memória do nosso país”, afirmou.

Por meio de sua rede social, o governador do estado de São Paulo, João Doria, opositor do presidente Jair Bolsonaro, chamou o incêndio de “um crime contra a cultura do país”.

READ  Cinedigm adquire serviço de streaming de filmes Fandor Indie

A Secretaria-Geral da Cultura do Brasil disse em comunicado por e-mail que “lamenta profundamente” o incêndio e pediu à Polícia Federal para investigar.

Sem se referir diretamente às críticas de apoio da Cinematica, a agência disse que o governo federal está empenhado em “preservar sua história”.

Duas queridas instituições culturais brasileiras tiveram o mesmo destino nos últimos anos.

O Museu Nacional do Rio de Janeiro destruiu a maior parte de sua estrutura em um incêndio em 2018 junto com grande parte de seus mais de 20 milhões de objetos. A reabertura está prevista para o próximo ano. Em 2015, o Museu da Língua Portuguesa, também localizado em São Paulo, pegou fogo. A reabertura está prevista para domingo.

___

A repórter da Associated Press Tatiana Polastri em São Paulo contribuiu para este relatório.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *