Inadimplência dos brasileiros cai pela primeira vez em 2023

Número de brasileiros que deram calote pela primeira vez neste ano caiu em junho, segundo A monitoramento mensal Por Serasa Experian Agência de Proteção ao Crédito.

Dívidas bancárias e de cartão de crédito representam um terço do passivo, com serviços públicos (22,7%) e varejo (11,4%) sendo as categorias de contas não pagas.

Cerca de 71,4 milhões de pessoas estavam com seus pagamentos atrasados, uma queda de 0,63% em relação a maio. Aproximadamente 44% dos brasileiros adultos têm algum tipo de dívida. Resta saber se a queda representa uma tendência positiva ou um deslocamento – entre outubro e novembro, o número de brasileiros inadimplentes também caiu ligeiramente, para subir em cada um dos cinco meses seguintes.

Mas um programa federal lançado recentemente para ajudar as famílias a renegociar suas dívidas mostra-se promissor. Conforme explicamos em nosso último boletim semanal brasileiro (para assinantes Premium e Standard), mais de 2 milhões de pessoas com dívidas de até R$ 100 conseguiram quitar toda a lista na última semana.

E de acordo com a Febraban, a Associação Brasileira de Bancos, outros 150 mil contratos de dívida foram renegociados, totalizando mais de R$ 500 milhões.

Os brasileiros estão inadimplentes em níveis recordes desde pelo menos 2021. Isso é o resultado de uma combinação de condições econômicas deterioradas, com preços subindo rapidamente enquanto os salários estagnam e taxas de juros persistentemente altas. Cerca de 84 por cento das famílias endividadas têm dívidas de cartão de crédito (que vêm com taxas de juros incríveis de aprox. 455 por cento todo ano).

Entre março de 2021 e agosto de 2022, o Banco Central do Brasil implementou uma das políticas monetárias mais restritivas do mundo, na esperança de domar a inflação.

READ  Mercados Emergentes - Real Brasileiro sobe após PIB forte, Peso Mexicano continua caindo

A inflação plena está agora em linha com a meta do governo, levando os mercados a antecipar um corte de juros em agosto. Saberemos o quão sério os investidores acham que o banco central estará na terça-feira, quando o banco divulgar seu relatório Pesquisa semanal Uma das maiores empresas de investimento.

Na semana passada, a previsão média para a taxa de final de ano era de 12 por cento, abaixo dos atuais 13,75 por cento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *