Haddad brasileiro espera reforma tributária em duas etapas em 2023, integração sul-americana

(adicionar detalhes e contexto)

DAVOS, Suíça, 17 de janeiro (Reuters) –

O ministro da Fazenda do Brasil, Fernando Haddad, disse na terça-feira que a agenda econômica do país inclui uma reforma tributária em duas etapas este ano, apontando para a integração progressiva e em grande escala da América do Sul como um vetor de crescimento na região.

Falando a um painel do Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça, Haddad disse que o recém-empossado governo do presidente esquerdista Luiz Inácio Lula da Silva quer votar a reforma do imposto de renda no segundo semestre, após antecipar a reforma do imposto sobre o consumo nos Estados Unidos. primeira metade.

“(A mudança) é para aliviar os mais pobres e o ônus de quem não paga impostos hoje. Muitas pessoas no Brasil hoje não pagam impostos. Portanto, precisamos reequilibrar o sistema tributário brasileiro para melhorar a distribuição de renda no Brasil”, afirmou. disse.

Outra via de crescimento virá da integração regional, disse o ministro, apontando para Colômbia, Chile e Argentina para enfatizar a presença em quase toda a América do Sul de presidentes progressistas, que compartilham mais objetivos do que no passado.

“Como não há mais o boom das commodities no início do século, eles terão que fazer diferente agora”, disse.

“Como não temos um boom de preços de commodities, façamos um boom de integração, a favor do comércio, das transações financeiras e do sistema de crédito, integrando tudo isso em nossa região, chamando a atenção do mundo e atraindo investimentos. ”

De acordo com o ministro, o governo Lula também vai traçar um programa para tirar as pessoas do endividamento para que elas possam voltar ao mercado de consumo.

READ  Hulk ignora pacote: "Estou cansado do Brasil"

Ele destacou a política de aumento do salário mínimo, aumentando-o “um pouco acima da inflação”, como mais um fator para impulsionar o consumo da população de baixa renda.

Sobre as melhorias organizacionais para atrair investimentos, Haddad afirmou que vai focar principalmente em parcerias e franquias entre os setores público e privado, mas também vai usar o orçamento geral para alguns projetos específicos.

Para receber atualizações diárias de Davos em sua caixa de entrada, inscreva-se no Reuters Daily Brief

AQUI (Reportagem de Marcela Ayres em Brasília; Edição de Andrew Heavens e Chizu Nomiyama)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *