Gripe aviária mata mais de 900 focas e leões marinhos no Sul do Brasil

SÃO JOSÉ DO NORTE, Brasil – Quase 1.000 focas e leões marinhos morreram no sul do Brasil devido a um surto de gripe aviária, dizem as autoridades que lutam para isolar o vírus mortal de rebanhos de aves comerciais.

O estado mais meridional do Rio Grande do Sul confirmou uma morte sem precedentes de 942 mamíferos marinhos após infecção pelo vírus da gripe aviária altamente patogênica (GAAP), relatada pela primeira vez no país sul-americano em 2023.

A oceanógrafa Silvina Bota, da Universidade Federal do Rio Grande (FURG), disse que os corpos devem ser enterrados ou queimados o mais rápido possível para reduzir o risco de contaminação de humanos ou outros animais.

Os cientistas também descobriram que alguns mamíferos marinhos têm convulsões ao longo das praias locais, à medida que o vírus ataca os seus sistemas nervosos. O Dr. Botha disse que, de acordo com as regulamentações sanitárias do governo, os animais devem ser sacrificados para evitar uma “morte extremamente dolorosa”.

Desde o primeiro relato de gripe aviária em aves selvagens, em Maio passado, o Ministério da Agricultura afirma que medidas preventivas evitaram surtos em explorações avícolas comerciais, o que poderia levar a uma proibição de exportação contra o Brasil, o maior exportador mundial de frango.

Mas o vírus se espalhou para outros grupos de animais. Além do surto da doença entre aves marinhas, focas e leões marinhos, as autoridades recolheram amostras de botos e pinguins mortos encontrados nas praias, sem resultados confirmados até ao momento.

O primeiro diagnóstico de mortes de mamíferos marinhos ligadas ao vírus da gripe aviária no Rio Grande do Sul ocorreu em setembro, quando taxas de mortalidade incomuns chamaram a atenção dos cientistas, disse o Dr. Botha. Três cidades do estado ainda apresentam surtos ativos.

READ  David Parker vai representar a Nova Zelândia na segunda Conferência dos Oceanos das Nações Unidas em Portugal

Ela disse que a infecção entre mamíferos marinhos aparentemente começou no Peru e depois se espalhou pelo continente sul-americano, atingindo a vida selvagem no Chile, Argentina, Uruguai e agora no Brasil.

O Ministério da Agricultura do Brasil relatou 148 surtos de gripe aviária no país, principalmente ao longo da costa, declarando uma emergência de saúde para conter a doença, que afirma “ainda não ser considerada endêmica no Brasil”.

A gripe aviária, vulgarmente conhecida como gripe aviária, levou ao abate de centenas de milhões de animais de criação na Europa e nos Estados Unidos. Reuters

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *